Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
CINEMA 2014
pra voce qual e o filme mais esperado de 2014
jogos vorazes a esperaca.
o hibbit 3
capitao america 2
velozes e furiosos 7
resident evil 6
homen aranha 2
transformers 4
need for speed
Ver Resultados

Rating: 4.0/5 (252 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



Baixe o Flash Player para executar...

voce esta no rteennews o melhor site de entretenimento da atualidade !!!!

cofira as novidades sobre cinema , musica , gemes , animes e muito mais !!!

 

 

 



Total de visitas: 64528
OS CAVALEIROS DO ZODIACO OMEGA : SAGA DE PALLAS
OS CAVALEIROS DO ZODIACO OMEGA : SAGA DE PALLAS

 

Saint Seiya Ω (聖闘士星矢Ω, Seinto Seiya Omega?) é uma série de anime produzida pela Tōei Animation com base na clássica franquia Os Cavaleiros do Zodíaco, criada, escrita e ilustrada pelo autor japonêsMasami Kurumada.1 A estréia da série no japão foi em 1 de abril de 20121 , ela é dirigida por Morio Hatano (sua estréia como diretor de série) e ilustrada por Yoshihiko Umakoshi (conhecido por realizar a mesma função em Street Fighter Alpha: The Movie e Casshern Sins). 1

A Toei descreve a obra como uma história original de anime, pois não é uma adaptação de enredos previamente publicados em mangás. Assim sendo, Saint Seiya Ω não faz parte da continuidade do mangá, mas sua história é influenciada por eventos e elementos da obra original. O autor original de Os Cavaleiros do Zodíaco não se envolveu com o processo criativo de Saint Seiya Ω, mas recebe crédito como o criador original do conceito da série.2

A série marca o retorno da Toei como estúdio encarregado de animar uma obra de Os Cavaleiros do Zodíaco, desde a animação da Saga de Hades em 2008.

O enredo de Ω acontece no futuro, 13 anos após a conclusão das guerras do século 20 narradas no mangá. Após um conflito com o deus Marte, Seiya de Sagitário e seus amigos foram impedidos de queimar seus cosmos e Atena teve de se refugiar numa ilha onde treina novos cavaleiros para derrotar Marte, porém, mal sabe ela que as escondidas Marte cria uma jovem com forte cosmo de luz para usurpar o lugar de Atena e destruir a terra usando o cosmo da luz para transformar marte num paraíso.

A Saga de Marte - Parte I: As Ruínas

Prólogo

Após vinte e cinco anos de muita luta e revoltas, Atena e seus fiéis cavaleiros da esperança retomam suas vidas. A deusa Atena ainda está na Terra e cumpre seu eterno dever como guardiã da paz e do amor no planeta Terra. Seiya de Pégaso, aquele que derrotou deuses e cavaleiros malignos no passado, é atualmente venerado como um Cavaleiro Lendário. Outro confronto tem início quando o deus das chamas e da guerra, Marte, surge para purificar a face terrestre de humanos malignos e corruptos. Ele conta com a ajuda de seus súditos, os marcianos e também os Quatro Reis Celestiais, considerados os mais fortes sob seu comando.

Saori Kido, ainda a reencarnação da deusa da justiça e da sabedoria, reúne seus fiéis cavaleiros para lutarem contra a nova ameaça. O deus da guerra alega agir em prol da justiça e promete livrar o mundo dos problemas atuais como a miséria, o ódio e o medo após purificar a face terrestre para reconstruir outra em seu lugar. Infelizmente, igual à guerras anteriores, os marcianos se mostram implacáveis e não se importam de desestruturar tantas famílias para alcançar seus objetivos. Algumas vítimas dessa crueldade são dois bebês, encontrados ao lado dos cadáveres de seus supostos pais. Eles são Kouga e Ária, as crianças destinadas.

Contudo, Saori só foi perceber a presença deles quando um misterioso cometa foi atraído para a Terra, justo ao local onde ela travava uma batalha pelo destino de todos. A deusa da justiça, trajada de sua armadura e munida de amor, ergueu seu escudo para proteger os bebês do impacto do cometa. O cosmo dela entrou em ressonância com a armadura de seus cavaleiros ao mesmo tempo que protegia os bebês, porém o cometa emanava um cosmo negro tão avassalador capaz de rachar não apenas sua kamui, mas também de infectar os transeuntes próximos. Um dos bebês havia sido infectado pelo misterioso cosmo negro do planeta e o deus Marte também. Enquanto o deus sofria uma violenta transformação em seu corpo, o bebê fora protegido pela luz de Atena.

Contudo, ao término do confronto, Marte já estava de posse do outro bebê, uma menina, que emanava um cosmo tão puro quanto o de Atena. Saori já não tinha forças para impedi-lo e os cavaleiros o veem desaparecer na fumaça causada pelo derradeiro confronto. Tanto Seiya quanto seus amigos percebem a forte vontade de Saori em cuidar do bebê, mas eles não poderiam imaginar que um destino cruel o aguardava; o deus Marte, que havia raptado a menina, ainda não revelara seus verdadeiros propósitos. Seiya e Atena aguardavam pelo pior, mas até lá, eles preferiram desfrutar de momentos felizes ao lado do bebê e dos seus companheiros, exaustos por um confronto derradeiro.

A Aparição do Deus da Guerra

A identidade do deus da guerra ainda era desconhecida para Atena e seus cavaleiros. Da mesma forma que Atena havia encarnado numa humana de coração forte e valoroso como Saori, o deus Marte havia encarnado num humano de coração atormentado e sedento por revolução e sangue. Este humano era conhecido como Ludwig, um agente federal de vida próspera e que vivia com sua família numa luxuosa mansão.

Cercado de funcionários honestos, Ludwig vivia feliz com sua filha Sônia e sua esposa Misha. Mesmo ocupado com sua profissão, Ludwig fazia o possível para passar momentos com elas. Um dia, ele prometeu a sua esposa que a acompanharia num concerto. Misha adorava música e Sônia, apesar de estar no jardim de infância, já sabia tocar minuetos. Infelizmente, no dia do concerto, o teatro sofreu um atentado terrorista e foi vítima de uma violenta explosão. Ludwig apenas chegou a tempo de ver sua esposa ser uma das vítimas do atentado; algo que ele jamais poderia aceitar, visto que sua esposa sempre foi admirável e generosa.

A cada dia que passava, Ludwig questionava mais e mais o estado atual da Terra e perseguia diversos tipos de criminosos na esperança de encontrar uma justificativa plausível para a morte de Misha. Ludwig cada vez menos prestava atenção a tristeza de sua filha Sônia e olhares suspeitos se voltavam para eles. Cheio de ódio e rancor, Ludwig tornou-se o hospedeiro adequado para o deus da guerra, Marte, cujo planeta vermelho se aproximava da Terra a cada dois anos. Nesse momento, Ludwig renascido como deus Marte conheceu a humana Medea, que já estava de olho nele a algum tempo e conhecia segredos obscuros do cosmo.

Após algum tempo, eles se casaram e tiveram um filho, Éden. Ludwig já não era mais o mesmo. Ele vivia com sua família num castelo e reunia candidatos a marcianos, cada vez mais descontentes com o estado atual do planeta Terra. Ludwig desafiara Atena com seus poderosos marcianos, porém ele recebeu o golpe certeiro de Seiya de Sagitário e perdera a batalha. Contudo, ele havia sido auxiliado por sua esposa Medea, que convocara as forças de um deus antigo e poderoso conhecido como Apsu.

Ludwig havia sido infectado pelas trevas do deus Apsu e cada vez mais se rendia ao seu coração cheio de ódio e rancor, ignorando a causa justa pela qual lutou em tirar o controle da Terra da deusa Atena. Ele havia encontrado Ária, um bebê com um cosmo tão puro quanto o de Atena; enquanto Saori resolveu levar o bebê Kouga para ser criado no Santuário na Grécia.

Atena estava atenta ao fato do deus Marte ter sobrevivido aos primeiros confrontos graças ao poder das trevas de Apsu e reuniu seus cavaleiros novamente para enfrentá-lo. Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki se dirigiram ao Santuário para impedir Marte de realizar seus planos, porém foram surpreendidos por seus violentos poderes e cada qual foi infectado pelas mesmas trevas que infrigiam e tornavam o deus cada vez mais violento. O poder de Marte foi selado definitivamente quando Seiya de Sagitário utilizou seu cosmo ao limite. Ludwig recuperara sua consciência e temente por uma nova investida de Apsu, ele preferiu aprisionar o Pégaso Dourado até o momento que sua força fosse necessária para a Terra. Contudo, a vontade de Marte ainda estava ativa e o deus estava recuperando seus poderes pouco a pouco.

 

Breves períodos de paz e boatos preocupantes

Saori, que havia sido infectada, já não tinha a mesma força de antes e converteu-se numa mulher ordinária com dificuldades de elevar o próprio cosmo para proteger a Terra. Ela não vestiu sua armadura no Santuário, pois Marte a surpreendeu e ele quase matou Kouga; na época, o menino ainda era um bebê.

A deusa Atena sabia que o deus Marte tinha algum tipo de interesse no jovem e para impedir que ele fosse perseguido por seus asseclas, ela resolveu morar numa ilha deserta, sendo assessora por Tokumaru Tatsumi, seu fiel mordomo e Shina de Cobra, a Amazona de Prata. Saori sabia que Apsu ainda estava vivo, porém só agiria quando Marte assumisse de vez o controle da Terra. Seus fiéis cavaleiros haviam retomado as vidas de antes, cada qual num canto do planeta; ora com família estruturada, tal qual Shiryu e Shunrei; outros como médicos ou simples peregrinos; enquanto alguns desapareceram misteriosamente.

A vontade da deusa de proteger os humanos ainda permanecia forte e ela fundou uma escola para preparar jovens aspirantes a Cavaleiros de Atena. O nome do local é Palaestra, uma escola situada no meio de um profundo lago, próximo ao Santuário na Grécia. Os antigos cavaleiros, aqueles que lutaram com Atena no passado, se reuniram neste local para aceitar e treinar novos pupilos. Porém, Saori preferiu que Shina fosse responsável pela educação de Kouga como um cavaleiro. Ela jamais quis que seu filho Kouga participasse de uma batalha, porém isso era inevitável visto que ele despertava a atenção dos inimigos por ter o cosmo das trevas desde pequeno. Ela sabia que cedo ou tarde Kouga, que até então odiava o modo de vida dos cavaleiros, precisaria aceitar o destino traçado para ele. Enquanto Atena permanecia reclusa numa ilha, a paz pelo continente era mantida graças aos esforços dos Cavaleiros de Prata e alguns Cavaleiros de Ouro fiéis a ela, que estavam cada vez mais preocupados com o renascimento dos marcianos. Dentre eles, alguns se destacavam como Pavlin de Pavão e Kazuma do Cruzeiro do Sul por sua força e generosidade. Shiryu, Shun, Ikki e Hyoga levavam uma vida mais pacata, pois o cosmo das trevas os impediam de lutar direito; contudo, eles permaneciam fiéis a deusa Atena e prontos para agir quando necessário.

Mal sabiam eles que o maior dos problemas residia na Terra mesmo, pois em algum lugar, num castelo longíquo, havia uma jovem presa a uma torre. Ela era ninguém menos do que a própria Ária, o bebê raptado por Marte na última Guerra Santa contra Atena. O propósito do deus era que seus subordinados ajudassem Ária a elevar seu cosmo para seus propósitos egoístas. Os cavaleiros ainda não tinham ideia de que os marcianos estavam à ativa e tão pouco que Marte tinha dois filhos sob os cuidados de Medea - Éden e Sônia.

Após atingir Saori Kido e seus lendários cavaleiros com a feridas das trevas no Santuário, o deus Marte foi adormecido e passou a recuperar suas forças lentamente. A vontade dele ainda podia ser sentida por seus fieis súditos, em especial, a feiticeira Medea, que atuava como a segunda em comando.

Sônia já não era a mesma menina adorável de antes e amante de música. Ela converteu-se numa Marciana de pulso firme e grande força; embora usava uma máscara, Medea, dentre todos os demais marcianos, conseguia ver o quanto sua enteada hesitava em acabar com os inimigos e resolve testá-la em prol de um bem maior: a garantia de que Éden jamais seria traído por sua irmã no futuro!

Ela acredita que uma guerreira de coração frio seria ideal para garantir prosperidade ao novo império que estava para ressurgir e propõe a Sônia que ela mesma elimine alguns Cavaleiros de Atena, que estavam se reagrupando em alguns países. Sônia se dirige ao México e é obrigada a enfrentar um Cavaleiro de Prata, Kazuma, protegido pela constelação de Cruzeiro do Sul. Aparentemente, o guerreiro levava vantagem e tentava aconselhá-la a não usar seus punhos para a maldade; mas, sim, para proteger as pessoas que amava. Interpretando mal as palavras de seu oponente, Sônia desfere um golpe fatal, que dilacera o coração dele e em meio a remorso e lágrimas, ela só tem a oportunidade de ver uma criança triste em sua frente, chorando e clamando por vingança. Sônia retorna ao castelo, porém não apresenta sinais de alegria, mesmo diante dos elogios de sua madrasta.

Enquanto Sônia treina arduamente e mantém seus sentimentos de culpa totalmente ocultos, Éden, seu irmão caçula visita a pequena Ária frequentemente na torre na qual foi encarcerada. Medea faz vistas grossas, mas confia no treinamento árduo de Micenas, um grande aliado do Império de Marte, para fazer o jovem Éden a esquecer de sentimentos tão medíocres como a amizade e o amor. Contudo, à medida que cresce e se fortalece, Éden passa a ter mais apego pela jovem donzela e promete protegê-la de qualquer perigo. Embora os marcianos começam a se reunir após sentirem que seu mestre estava cada vez mais próximo de ressuscitar, Medea não percebe mais um tipo de sentimento muito forte surge no coração de seu filho.

O retorno de Marte, que estava prestes a se livrar do 'selo' dos cavaleiros, já era esperado. O deus da guerra já havia reunido seguidores e fascinado outros. Medea já adiantara muitas coisas, dentre elas, reunir futuros aspirantes a Cavaleiros de Ouro para lutarem em prol da justiça da Terra. Esses guerreiros sabiam da existência de Atena, mas apesar de respeitá-la, eles concordavam com o deus Marte em alguns aspectos: como uma deusa poderia permitir que o mundo continuasse corrompido e cheio de injustiças? O mundo sem uma liderança se tornaria um palco para futuras batalhas e esses cavaleiros tinham em mente ajudar o deus Marte a se tornar o novo Mestre do Santuário.

A Vez dos Novos Cavaleiros

Treze anos se passaram desde que Marte fora derrotado por Seiya, Shun, Hyoga, Shiryu e Ikki, ainda venerados como lendários Cavaleiros da Esperança. Seiya está desaparecido, e muitos pensam que ele já morreu enquanto seus amigos decidiram seguir viagem pelo mundo ou retornaram às suas terras natais. Kouga já é um rapaz e também aspirante a Cavaleiro de Atena, treinado por Shina de Cobra e auxiliado por Tokumaru Tatsumi, o fiel mordomo dos Kido numa ilha longe do continente. Desde a ameaça no Santuário, Kouga foi levado por Saori até uma de suas residências de praia. Embora um sujeito sem amigos da mesma faixa etária, Kouga cresceu audaz e generoso, sentindo forte admiração por Saori, por esta tê-lo criado como filho, porém sem compreender muito a respeito de sua verdadeira identidade. Nem mesmo Shina e Tatsumi tiveram autorização para falar sobre tal assunto, ainda mais que Saori era uma vítima da estranha Marca das Trevas, um tipo de 'mal' vindo do espaço sideral. 

Cansado de tanto treinamento e estranhas alucinações de um genroso homem vestindo uma armadura feita de ouro, Kouga se mostra irritado com o treinamento, mas tanto Shina quanto Saori o advertem que o futuro de um cavaleiro é definido pelas estrelas. Kouga, mesmo contrariado, esclarece que mudará seu próprio destino com suas mãos, visto que não fazia sentido proteger uma deusa que jamais aparecera em sua frente antes. De repente, após tantas discussões, Kouga e todos são surpreendidos por um estranho ser. Os céus escureceram e um grande planeta brilhava vermelho feito sangue e ódio atrás do recém-ressucitado deus Marte, que viera buscar Atena. Quando Shina e Tatsumi nada podem fazer diante do inimigo, Kouga percebe que Saori era a própria Atena, a deusa do amor e da justiça. Infelizmente, por estar infectada pela misteriosa marca negra, ele estava com dificuldades de ascender seu cosmo para proteger a todos e é raptada pelo inimigo. Nem mesmo herdando a Armadura de Pégaso e a vontade de Seiya, Kouga foi capaz de impedir o sequestro de Saori.

Shina pede a Kouga que vá atrás do paradeiro de Saori e Tatsumi providencia um barco para ele cruzar o oceano e avisar sobre o renascimento do deus Marte em Palaestra. E assim começa a viagem de Kouga, sucessor de Seiya, à procura de aliados que o ajudem a recuperar aquilo que ele tem de mais precioso. O Cavaleiro de Pégaso não tem dúvidas que salvar Saori é o mesmo que salvar a Terra. Kouga encontra dificuldades para encontrar Palaestra, o centro de treinamento de aspirantes a cavaleiros; com sorte, ele encontra o Cavaleiro de Leão Menor, Souma e juntos eles enfrentam um dos subordinados de Marte. Após comprovar que o que o Cavaleiro de Pégaso disse, Souma se apressa em levá-lo até Palaestra e lá eles são recepcionados por Yuna de Águia e Geki, o antigo Cavaleiro de Bronze de Urso e um dos professores locais.

Kouga exige falar com o diretor de Palaestra, mas descobre que o mesmo estava ausente resolvendo outros assuntos importantes. Ele é recepcionado pelo diretor interino, e descobre que Saori, a quem ele reconhecia como Atena estava no Santuário na Grécia. Contudo, por vê-la sequestrada por Marte, Kouga exige ter uma audiência com ela para verificar se tudo estava bem. Souma explica que ninguém poderia ter uma audiência com Atena, exceto os Cavaleiros de Ouro, os mais poderosos do universo e encarregados de proteger as Doze Casas do Zodíaco no Santuário da Grécia. Kouga é informado que teria chances de comprovar suas suspeitas caso derrotasse todos os Cavaleiros de Bronze num torneio organizado anualmente em Palaestra e conhecido como A Batalha dos Cavaleiros. Somente ao vencedor seria concedido o prêmio de ter uma audiência direta com Atena; além de receber as honrarias de um Cavaleiro de Prata. Kouga se mostra muito preocupado e resolve ir ao Santuário por conta própria à noite, porém é convencido por Ryuho, o filho de Shiryu e atual Cavaleiro de Dragão, a ficar e treinar, caso contrário seria massacrado pelos subordinados mais fortes de Atena, dentre os Cavaleiros de Prata, considerados de segunda patente. Kouga resolve ficar e treinar para aprimorar seu cosmo, interagindo-o cada vez mais ao seu elemento-chave, a Luz. 

 

Reviravolta em Palaestra e no Santuário

Não apenas Kouga, mas cada Cavaleiro do novo século tinha o domínio de um elemento em especial. Souma tinha o domínio sobre as chamas; Yuna, sobre o vento; Ryuho, a água. Entretanto, dentre todos os adversários do torneio, Kouga percebe que havia alguém em potencial para vencer. Tratava-se do Cavaleiro de Bronze de Órion e dominante dos relâmpagos, Éden. Enquanto Kouga objetivava rever sua mãe, Éden lutava por motivos egoístas para provar ser o mais forte. Contudo, quando o torneio estava prestes a terminar, Palaestra é ovacionada pela visita de Atena. Em sua curiosidade, Kouga resolve visitar Atena em seus aposentos para averiguar se ela realmente estava bem.

Contudo, ao chegar no local, Kouga se surpreende ao ver uma menina magra de cabelos e olhos azuis, a quem todos veneravam como Atena. Antes que conseguisse conversar com ela, Kouga é atacado por marcianos e também por um dos Cavaleiros de Ouro, e diretor de Palaestra, Ionia de Capricórnio. É revelado que o diretor já sabia há tempos sobre o retorno do deus Marte, prometendo ajudá-lo a ser o novo Mestre do Santuário na Grécia. Mesmo derrotando os marcianos, Kouga quase é morto por seu adversário e preso nas masmorras de Palaestra. Lá, ele encontra o Cavaleiro de Bronze de Lobo, o ninja Haruto.

O ninja já estava ciente de tudo, mas tal como Kouga também foi preso por descobrir a traição de Ionia e outros cavaleiros fascinados pelo poder do mal. Haruto e Kouga ainda se impressionam com o ardil de Ionia em prender seus adversários nas masmorras de Palaestra, cercada por um estranho e imensurável cosmo - diferente das demais energias já presentes e testemunhadas por eles, tal cosmo parecia rejeitar qualquer outra energia, prejudicando a fuga dos inimigos dos marcianos; estes, por sua vez, já a postos para um ataque em Palaestra.

Enquanto Kouga consegue escapar da prisão com a ajuda de Haruto, Souma, Yuna e Ryuho ajudam os demais estudantes de palaestras e professores no combate maciço contra os inimigos. Infelizmente, os marcianos já havia se posicionado estrategicamente e Ionia os auxiliara ao trazer a misteriosa jovem, Ária até Palaestra. A barreira cósmica de Atena havia sido rompido em questão de segundos pelo poder da jovem e Kouga queria encontrá-la a qualquer custo, pois já percebera que havia algo de errado; a menina parecia uma marionete viva dos inimigos.

Geki, inspirado pela coragem de seus alunos, resolve ficar ao lado dos demais professores e lutar para garantir a fuga do quinteto. Mesmo com a patente de bronze, Geki acredita que eles seriam a equipe ideal para fazer fronte ao exército inimigo no futuro e pede a eles que se dirijam ao Santuário para pedir ajuda. Durante a fuga, os Cavaleiros de Bronze percebem que os atributos elementais do cosmo de Kouga estavam mais acesos do que antes; Kouga já era capaz de romper o estranho cosmo das trevas com seus punhos brilhantes. Contudo, durante o trajeto até o Santuário, eles descobrem que o mesmo já havia sido destruído por uma força avassaladora. Não havia sinal das Doze Casas do Zodíaco, tão pouco dos Cavaleiros de Ouro, que deveriam estar a postos para protegê-la. Ao sentir resquícios do cosmo da jovem Ária, Kouga, talvez pela afinidade cósmica, percebera que alguém mais poderoso a utilizou novamente para propósitos malignos. Ele convence seus amigos que a chave para as respostas de todos os problemas estaria no quartel-general dos marcianos, o castelo de Marte e se dirigem para lá. O Cavaleiro de Pégaso já havia percebido que alguém estava forçando Ária a fazer coisas terríveis; ele está disposto a resgatá-la e encontrar as respostas que tanto procura, dentre elas, o paradeiro de Saori. O poder das trevas está agindo e algo precisava ser feito o mais rápido possível.

 

A Viagem pelas Ruínas

Ainda não havia notícias dos estudantes e dos professores de Palaestra. Kouga e seus amigos sabiam que o local havia sido dominado pelo cosmo das trevas devido ao descontrole súbito do cosmo de Ária, e pior, o Santuário de Atena não existia mais. Enquanto o deus Marte se encarregava dos preparativos para a construção da majestosa Torre de Babel no antigo solo sagrado na Grécia, Kouga localizou a jovem Ária presa e a resgatou com a ajuda de seus amigos, cada qual responsável pela derrota de alguns soldados marcianos, responsáveis em protegê-la. 

Contudo, os Cavaleiros de Bronze são surpreendidos por outro Cavaleiro de Ouro à serviço do deus Marte. O nome dele é Micenas de Leão, o orgulhoso guerreiro e mentor de Éden de Órion. Yuna fica responsável em guiar a jovem Ária até um local seguro, mas Micenas está determinado a recuperar a 'Luz da Esperança' do Império de Marte e derrota os cavaleiros facilmente, danificando suas armaduras. Em sua fúria, o deus Marte resolve punir Kouga pessoalmente, porém este é protegido inesperadamente pelo Cavaleiro de Ouro de Sagitário, Seiya. Kouga se lembra finalmente que foi Seiya quem o protegeu no passado e renova suas esperanças após perceber que o antigo Cavaleiro de Pégaso confiou Atena aos seus cuidados e de seus amigos.

Por estar sem forças, Seiya consegue retardar o seu inimigo e desaparece. O deus Marte e sua fiel súdita, e também, esposa Medea estão confiantes que poderão dominar a Terra rapidamente e sem interferências, pois já conseguiram ótimos aliados, dentre eles, os Cavaleiros de Prata. Marte faz um pronunciamento e declara os cinco Cavaleiros de Bronze como rebeldes e ordena que Sônia de Vespa, sua filha mais velha, lidere os Cavaleiros de Prata e os marcianos numa empreitada para matá-los. Yuna é uma das primeiras a testemunhar a força de Sônia, mas é salva por Kouga e Souma, sendo que este último ainda tinha assuntos pendentes a tratar com a nova inimiga.

Após os Cavaleiros de Bronze derrotar alguns Cavaleiros de Prata, Sônia percebe que não deveria subestimá-los tanto assim e se retira para o castelo de Marte, de onde traçaria novos planos para combatê-los e trazer orgulho ao império. Souma, Yuna, Kouga descobrem que o império de Marte seria concretizado quando os cinco núcleos cósmicos, presentes em ruínas nos cantos mais distintos do mundo, sugassem completamente o cosmo do planeta Terra, tornando-o um lugar inóspito. Embora hesitantes em levar a jovem Ária com eles, os Cavaleiros de Bronze percebem que ainda havia algo de especial nela e seus poderes seriam necessários para destruir os núcleos cósmicos. O primeiro a ser destruído foi o Núcleo Cósmico do Vento, protegido pelo Cavaleiro de Prata, Fly de Mosca, que fora derrotado por Kouga. Haruto, que havia sobrevivido ao encontro com Micenas, apareceu na hora certa para ajudá-los, mas ainda não havia sinas de Ryuho.

O Reencontro com os Cavaleiros Lendários

De acordo com Ária, os Cavaleiros de Bronze só poderiam impedir os planos de Marte se desativassem o incrível poder da Torre de Babel; mas primeiro, eles deveriam destruir os núcleos cósmicos, os dispositivos místicos capazes de sugar e direcionar o cosmo do planeta Terra até Babel. Mesmo Ária sendo uma desconhecida, os Cavaleiros de Bronze sentem que podem confiar nela e decidem protegê-la com suas vidas. Ainda restava Ryuho comprovar o quanto Ária era digna de ser chamada de 'Nova Atena'.

Ao viajar com Ária, os cavaleiros sofrem traições, passam por muitos apuros, mas também conhecem pessoas generosas, que tão pouco sabiam sobre os recentes planos de dominação mundial dos marcianos. Num vilarejo do deserto, Kouga reencontra Ryuho, que apesar dos problemas de saúde, havia sido tratado por Shun, o Cavaleiro Lendário de Andrômeda, que foi obrigado a abandonar as correntes para atuar como médico. Shun revela a verdade de anos atrás para eles e os ajuda a derrotar outro cavaleiro inimigo. Ryuho passa a lutar com mais confiança, sem se importar muito com seus problemas de saúde, após testemunhar a coragem de Shun diante dos malefícios do cosmo das trevas, a energia capaz de impedir que os Cavaleiros de Atena elevassem seus respectivos cosmos.

À cada batalha, os Cavaleiros de Bronze revelam seus poderes e habilidades. A mestra de Yuna, Pavlin de Pavão trai o exército de Marte e se sacrifica para revelar que Saori Kido ainda estava viva, porém presa e ninguém sabia de seu paradeiro. Após a destruição do Núcleo Cósmico da Terra, Haruto decide pedir a ajuda de seu pai e de seus ninjas na guerra contra os marcianos, porém não obtém sucesso. Zenzou Masataka, pai de Haruto, já testemunhara a força dos Cavaleiros e temia pela segurança de seu vilarejo e da sobrevivência dos ninjas, principalmente quando um de seus servos, Yoshitomi foi morto por um dos Cavaleiros de Atena. Enquanto Zenzou via Yoshitomi como um traidor, Haruto prometera vingar sua morte, pois além de ser seu antecessor, eles foram criados como irmãos.

Ryuho e Haruto se reencontram com Kouga, Yuna e Ária nos Cinco Picos Antigos de Rozan, na China e conhecem Shiryu, um dos Cavaleiros Lendários, que conseguira treinar o próprio filho sem depender dos cinco sentidos comuns ao ser humano. Embora auxiliado por Shunrei, sua esposa, Shiryu também sofreu durante os últimos anos pela contaminação da Marca das Trevas e escondeu um importante segredo: a proteção da Armadura de Libra. Mesmo com a intromissão de um dos Cavaleiros de Prata, Ryuho percebe a confiança de seu pai quando recebe uma das armas de Libra para romper o Núcleo Cósmico da Água. Contudo, um estranho jovem chamado Genbu surge das sombras e pega para si a antiga armadura de Dohko, que ele alegava ser sua por direito.

Souma, por sua vez, é incapaz de derrotar Sônia de Vespa, a assassina de seu pai, num combate justo e seu ódio por ela aumenta após violentos combates para destruir o Núcleo Cósmico do Fogo. Temente pelo sucesso de sua missão, ele resolve seguir viagem sozinho para treinar e buscar as respostas que tanto precisava. Nesse interím, ele encontra Jabu, o antigo Cavaleiro de Bronze de Unicórnio, e treina sob sua tutela.

Ária e Kouga por não estarem acostumados aos grandes centros urbanos aprendiam cada vez mais sobre o mundo e sua miséria. Cada qual tinha planos de torná-lo um lugar melhor e não temiam em unir forças para destruir os núcleos cósmicos restantes. Ária sempre precisava aumentar seu cosmo para ajudar um usuário de determinado elemento a romper o sistema de sucção cósmica construída por Marte e seus asseclas. Havia alguém enciumado pela união dos dois. Tratava-se de Éden de Órion, o filho caçula do deus Marte e orgulho do império. Apesar de ser a primogênita, Sônia sabia que o objetivo de seu pai era erguer Éden como sucessor do tão aclamado 'Novo Mundo'.

Éden se coloca à frente da batalha e prova o quanto é habilidoso, derrotando Kouga e Yuna. Ária, apesar de manipulada antes por Marte, jamais enxergou Éden como um inimigo; pelo contrário, os dois eram amigos de infância e ela sabia que havia algo no interior dele que o tornava nobre diante de qualquer inimigos. Por não querer ver a morte de ninguém, Ária se deixa levar até sua antiga prisão e Kouga entra em estado de profunda depressão por não conseguir protegê-la. Yuna percebe a situação de seu companheiro e decide levá-lo até seu antigo local de treinamento, o Vale das Lamentações, onde Kouga encontra um dos Cavaleiros Lendários, também impossibilitado de participar da luta contra os novos inimigos. O rapaz é repreendido pelo cavaleiro arduamente sem saber que sua verdadeira identidade era Hyoga de Cisne. Mesmo com a Marca das Trevas em seu corpo, Hyoga decide se arriscar para ensinar Kouga jamais abandonar a esperança em lutar pelo entes queridos, que ainda estavam vivos. Ao tentar romper as geadas da desesperança, Kouga se anima e eleva seu cosmo rumo ao castelo de Marte. Yuna faz questão de acompanhá-lo, confiante de que ambos salvarão Ária.

A vontade em resgatar a jovem Ária também ecoa nos corações de Haruto e Ryuho e todos se reúnem para organizar um ataque surpresa no castelo de Marte. Por ironia do destino, o deus não se encontrava em seus aposentos, deixando a segurança sob responsabilidades de Sônia e Éden. Souma, que havia sido submetido a um árduo treinamento sob a tutela de Jabu, antigo Cavaleiro de Bronze de Unicórnio, se reencontra com seus amigos, mas não consegue matar a assassina de seu pai. Humilhada pela derrota, Sônia promete se vingar. Os cinco cavaleiros se surpreendem ao descobrir que Ária e Éden não estavam no castelo, mas se dirigindo as Ruínas do Trovão. Mal sabiam eles que estavam sendo vigiados e que logo o pior estava por vir...

 

A Tragédia da Luz e a Ascenção das Trevas

Os Cavaleiros de Bronze se dirigem às Ruínas do Trovão, onde mais inimigos os aguardavam. Embora Ária estivesse certa que eles saíriam vitoriosos, Éden, em sua teimosia, insistia em derrotá-los para que ela não sofresse a ira do deus Marte. Kouga se reencontra com sua mestra, Shina de Cobra e descobre detalhes sobre seu passado, que até então desconhecia. O Cavaleiro de Pégaso mostra ainda mais determinação ao descobrir que foi encontrado em meio a escombros de vilarejos junto de Ária, que também era um bebê na época.

Os amigos de Kouga se encarregam de enfrentar outros Cavaleiros de Prata, abrindo caminho para ele enfrentar Éden. Em nome do orgulho e do império, Órion se mostra mais desafiador e irado pela prepotência do Pégaso. Shina reconhece uma força misteriosa provinda da jovem Ária e a arrasta até o Núcleo Cósmico do Trovão para juntas destrui-lo. Após isso, Ária percebe que o confronto entre os Cavaleiros de Bronze estava ficando mais sério e tenta detê-los. Nesse instante, os cosmos de Ária e de Kouga entram em ressonância, porém tratava-se de diferente das vezes anteriores. O choque cósmico acionou uma armadilha oculta nas Ruínas do Trovão, e todos, exceto Shina, são transportados para Érebo, as Ruínas das Trevas.

Num local inacessível para humanos comuns, os cavaleiros enfrentam seus maiores medos. Ainda insegura por Éden, Ária também é testada e passa por difíceis provações. Haruto enfrenta uma ilusão de seu irmão Yoshitomi; Ryuho é atormentado pelos fantasmas do passado; Yuna se vê diante da mesma guerra que dilacerou seu vilarejo e Souma, por sua vez, testemunha novamente os últimos momentos de seu pai. Enquanto cada cavaleiro supera seus traumas, Souma é obrigado a salvar a vida de Sônia, que ao seguir o rastro de Éden, também fora envolvida em tudo aquilo. Os piores temores de Sônia eram perder o amor e o carinho de seu pai e de sua madrasta, Medea; mas o jovem Souma percebera que havia algo de estranho com sua maior inimiga.

Ária toma uma importante decisão e ajuda Éden e Kouga a se livrarem das armadilhas das Ruínas das Trevas. Todos se reúnem no centro das ruínas, e mesmo a contragosta, Éden e Sônia testemunham Ária e Kouga destruírem o último Núcleo Cósmico, o da Escuridão. Enfim, os cavaleiros tem seus respectivos Cristais Cósmicos, essenciais nas futuras batalhas contra Marte. Entretanto, para a surpresa de todos, o deus da guerra aparece nas ruínas para confrontá-los e resgatar seus filhos. Cansada de ser usada por Marte, Ária se mostra decidida a enfrentá-lo e queima seu cosmo, criando uma poderosa lança de ouro através dos Cristais Cósmicos dos Cavaleiros de Bronze.

O deus Marte emana um cosmo agressivo e altera sua aparência, surpreendendo seus filhos por tanta hostilidade. Sônia não se intromete na batalha por temor a seu pai e Éden, por sua vez, custa a acreditar, que justo, Ária decidiu enfrentá-lo. O poder das Trevas faz os Cavaleiros de Bronze agonizarem, mas Ária permanece de pé, confiante na vitória de seus amigos. Ela ergue sua lança e ajuda Kouga a desferir um golpe direto em Marte, tal qual Seiya fizera anos atrás. Humilhado novamente pelos Cavaleiros de Atena, Marte, em sua fúria, afugenta Kouga com seu cosmo e atinge Ária mortalmente com uma de suas lanças vermelhas.

A jovem cai sem forças; não apenas a lança dourada, mas também parte de seu cosmo são roubados pelo deus, que se consagra vitorioso e pronto para a próxima etapa de seus planos. Não apenas os gritos de Kouga, mas os de Éden podem ser ouvidos, cortando o súbito silêncio das Ruínas das Trevas. Sônia é obrigada a arrastar seu irmão para o lado de seu pai, e juntos, eles se retiram para a Torre de Babel. Kouga e os demais Cavaleiros de Bronze se aproximam de Ária, profundamente tristes por falharem em protegê-la. As lágrimas deles sequer são suficientes para expressar tamanha alegria e consideração que a jovem Ária sentia por todos ao longo dessa incrível jornada. Após expressar sua imensa gratidão, ela pede a todos que impeçam Marte, caso contrário, a Terra estaria totalmente condenada. Usando suas últimas forças, Ária transporta os cavaleiros ao destino da batalha final e sucumbe perante a eterna escuridão do campo de batalha. Um novo e árduo confronto está para começar. É o prelúdio da batalha final!

 

A Saga de Marte - Parte II: A Batalha das Doze Casas

Chegada à Torre de Babel

A segunda parte da batalha contra Marte apresenta uma releitura da Batalha das Doze Casas; após Ária sacrificar-se para transportar os Cavaleiros de Bronze em segurança ao topo da Torre de Babel, sem entrarem em confronto direto com os soldados marcianos que protegiam a entrada. Kouga e seus amigos percebem que algo estava diferente de antes. Em sua ânsia pelo poder, o deus Marte elevou a torre até os céus, conforme havia prometido através do poder da lança dourada de Ária, recriando assim as Doze Casas do Zodíaco e a majestosa Sala do Mestre; o palco para a batalha final estava pronto. Em nome da Nova Atena, os Cavaleiros de Bronze, KougaSoumaYunaHaruto e Ryuho sobem as escadarias num último esforço para salvar a Terra; mais derramamento de sangue seria necessário e mesmo cansados, eles não hesitam em cumprir sua missão.

Casa de Áries

Os Cavaleiros de Ouro haviam sido reunidos no Novo Santuário erguido completamente pelo deus Marte. Embora alguns estivessem dispostos a adorá-lo e cumprir suas ordens em prol da paz que a humanidade insistia em desperdiçar, outros, porém, estavam observando os atos dos Cavaleiros de Bronze, admirados com seus feitos. Tal qual seu antigo mestre, Kiki de Áries se apresenta diante dos heróis e os ajuda, reparando suas armaduras e também alertando-os sobre a aproximação do planeta Marte. Enquanto utilizava a Areia Estelar nas vestimentas danificadas dos Cavaleiros de Bronze, ele revela que o objetivo do deus da guerra é substituir a Terra pelo planeta Marte, o tão aclamado Novo Mundo, onde não haveria pobreza ou doenças; todos seriam iguais everdadeiramente felizes. Kouga e seus amigos não enxergam o mundo idealizado pelo deus e seguem até a próxima casa, enquanto Kiki se encarrega pessoalmente dos marcianos, que já haviam sido alertados da invasão dos inimigos. Os Cavaleiros de Bronze precisam se apressar, pois o Anel do Tempo foi ativado no momento em que o Novo Santuário foi erguido; caso eles tardassem a impedir os planos do deus Marte em menos de doze horas, a humanidade estaria condenada.

Casa de Touro

Protegida por Harbinger, um fanático por lutas corpo-a-corpo, a Casa de Touro é o segundo obstáculo pelo qual os jovens cavaleiros precisam passar. Os Cavaleiros de Bronze descobrem que Ionia de Capricórnio recrutou Harbinger, após vê-lo derrotar um cavaleiro. Mesmo unindo suas forças contra o capanga de Marte, nossos heróis são derrotados. Entusiasmado com a determinação de Kouga, Harbinger utiliza um poderoso ataque, capaz de lançá-los pelas diferentes dimensões do Santuário. Haruto e Souma são enviados à Casa de Leão; Yuna é jogada em direção à quarta casa zodiacal e Ryuho, à casa de Gêmeos. Kouga enfrenta Harbinger sozinho e eleva seu cosmo ao extremo, capaz de golpeá-lo e fazê-lo se ajoelhar. Contente por encontrar um adversário à altura, Harbinger o deixa passar pela Casa de Touro, sem se importar de perder a prestigiada posição prometida no Império de Marte. Harbinger desce à primeira casa para ajudar Kiki a combater os marcianos.

Casa de Gêmeos

Depois de receber o golpe de Harbinger, Ryuho surge na frente da Casa de Gêmeos. No século XXI, esta casa é protegida por uma mulher cavaleiro, diferente das situações cotidianas, onde um homem tem o dever de fazê-lo. O nome dela é Paradox , uma Amazona de Ouro, que acredita nas leis do destino e que possui forte admiração por Shiryu, o pai de Ryuho e também o homem que um dia salvou sua vida. Ryuho percebe que ela era uma mulher fria e sádica, pois tratava do amor como uma obsessão e não valorizava a verdadeira missão dos Cavaleiros de Atena, que consistia em proteger os mais fracos e manter a paz na Terra, assegurando a vida de Atena.

O único interesse de Paradox era assegurar que seus amados, Shiryu e Ryuho, vivessem no Novo Mundo, prometido por Marte. Ao ter seu pedido recusado por Ryuho, Paradox se torna uma mulher completamente diferente; o ódio fala mais alto e sua aparência muda drasticamente. O Cavaleiro de Dragão enfrenta apuros nas mãos da inimiga, que além de sofrer do transtorno das múltiplas personalidades, também é capaz de manipular as dimensões, tal qual o destino de todos os Cavaleiros de Gêmeos antecessores. Kouga aparece para ajudar o amigo, mas não consegue fazer juz aos golpes da velocidade da luz da guerreira. Ryuho se lembra dos conselhos de Kiki sobre o Sétimo Sentido, a força necessária para derrotar os Cavaleiros de Ouro; ele começa a despertá-lo e derrota sua inimiga com o lendário golpe, o Cólera dos Cem Dragões (Rozan Hyaku Ryu Ha). A amazona permanece no chão, completamente derrotada enquanto os dois Cavaleiros de Bronze seguem em direção à Casa de Câncer.

Casa de Câncer

Protegida por Schiller, um homem que acredita na lei do mais forte, a Casa de Câncer é o obstáculo pelo qual os Cavaleiros de Bronze, Yuna, Ryuho e Kouga devem atravessar. É um ambiente sinistro que exala o cheiro da morte e Yuna é a primeira a testemunhar os crueis poderes do Cavaleiro de Ouro. Ela descobre que Schiller foi o cavaleiro responsável em aprisionar os estudantes e professores de Palaestra num gigantesco cristal no interior da Torre de Babel. O Cavaleiro de Câncer tinha a capacidade de criar réplicas de suas vítimas, o que incluía as melhores amiga de Yuna, Komachi de Grou e Arné de Lebre, e controlá-las. Mesmo tendo suas infâncias influenciadas diretamente pelas guerras civis, Yuna e Schiller não compartilhavam a mesma visão sobre o futuro. 

Ao ver o quanto a amazona estava decidida a atrapalhar os planos de Marte, Schiller utiliza uma técnica perigosa, as Ondas do Inferno (Sekishiki Meikai Ha). Kouga e Ryuho se desesperam ao descobrir que sua amiga foi transportada para a Colina do Yômotsu, a fronteira com o Mundo dos Mortos. Kouga arma um plano com a ajuda de Ryuho e finge cair na conversa de Schiller para ser levado até o local e ajudar Yuna. O problema é que o cosmo da escuridão, selado em Kouga por Saori e Ária, despertou graças a influência das trevas presente naquele local; o Cavaleiro de Pégaso está fora de si e não distingue amigos ou inimigos. Schiller decide eliminá-lo, mas Yuna, que havia sobrevivido, também eleva seu cosmo ao Sétimo Sentido e o derrota, jogando-o num magma de inferno ardente. Kouga recobra sua consciência e retorna com Yuna para a Casa de Câncer; embora o quarto Cavaleiro de Ouro se mostrasse inútil aos planos de Marte, mal sabiam eles que a Feiticeira Imperial e consorte real, Medea, os observava também. Enquanto o deus Marte aparentava incômodo com os atos dos rebeldes, Medea estava mais interessada no cosmo das trevas de Kouga, que começou a despertar após algum tempo. Quanto mais coisas estivesse em seu poder, melhor! Porém, qual é o enigma da Feiticeira Imperial?

Casa de Leão

Entretanto para desgosto da Família Imperial, o semideus Éden de Órion continuava a se lamentar pela morte de Ária. Solitário em seu canto, Éden não demonstrava tanta preocupação com a invasão dos demais Cavaleiros de Bronze no Novo Santuário; nem as palavras de sua mãe surtiam efeito; em contrapartida, Sônia estava cada vez mais enojada por ver o quão fraco seu irmão se tornara por se importar com a vida de uma mulher que ousou desafiar Marte. Na opinião da amazona, Éden deveria ser educado novamente para não vacilar quando se tornasse o soberano do tão aguardado Novo Mundo. Ao perceber a briga entre os irmãos,Micenas, o tutor de Éden, resolve assumir a dolorosa missão de ajudar Éden a caminhar pelas sendas da justiça. Ele já estava ciente que o deus Marte incumbira Sônia de tal tarefa, mas ao ver a frustação dela, Micenas constata que o único capaz de fazer Éden refletir é ele mesmo. O Cavaleiro de Leão eleva seu cosmo para pressionar Éden, mas o rapaz, cheio de dúvidas, não consegue fazer jus ao seu treinamento como antes e inesperadamente é transportado para outra dimensão graças ao cosmo de Ária.

Mesmo preocupado com seu pupilo, Micenas assume seu posto na quinta casa zodiacal para enfrentar Souma e Haruto, que haviam sobrevivido milagrosamente ao ataque de Harbinger. Após trocar alguns golpes com os jovens, Micenas reconhece a força de vontade guiada pela amizade e resolve deixá-los passar para a próxima casa; ao mesmo tempo, ele sente o cosmo ardente de Éden e constata que ele também tomou uma decisão quanto às atitudes a serem tomadas a partir de então. Medea se enfurece com a generosidade de Micenas, um homem a quem Marte tinha muito apreço e confiança; contudo, o Cavaleiro de Leão resolve ir até a Sala do Mestre para eliminar a mente por trás de todo aquele plano diabólico.

Casa de Virgem

Haruto e Souma são os primeiros a pisarem na sexta casa zodiacal, a de Virgem, protegida por um dos homens mais leais à Marte. Trata-se de Fudou, um homem que alega ser a reencarnação de uma divindade indiana conhecida como Fudô-miyô, além de responder pela alcunha de O Guardião Inabalável, visto que somente um Cavaleiro de Ouro ou um deus seria capaz de fazê-lo de mover daquele local. Os dois Cavaleiros de Bronze quase são mortos por ele; nem Souma consegue fazer ao inferno de magma invocado por Fudou. Eis que Ryuho, Yuna e Kouga chegam a tempo de ajudá-los, mas enfrentam problemas com a poderosa barreira cósmica erguida pelo inimigo. Diferente dos demais Cavaleiros de Ouro, Fudou só enxerga o poder de Marte como a salvação para os pecadores e imundos. Porém, Kouga não se deixa enganar por tais palavras e anima seus companheiros a continuar em frente. Kiki e Harbinger percebem que os Cavaleiros de Bronze avançaram muito pelo Santuário, porém deparar-se com um dos cavaleiros mais fortes era suicídio. 

Fudou revela um lado mais diabólico e decide punir os jovens cavaleiros, porém seu ataque de misericórdia é detido surpreendentemente por Éden. À princípio, Fudou acredita que o objetivo de Éden era retirar-lhe a glória de eliminar os rebeldes, mas ao perceber o engano, ele decide forçar o filho de Marte a reconhecer seus erros. Apesar de ser massacrado pelos poderes de Fudou, Éden consegue elevar seu cosmo e fazê-lo se mover. O Cavaleiro de Virgem resolve apelar para suas encarnações e, se necessário, evitar mais derramento de sangue. Na opinião de Fudou, os cavaleiros lutavam por uma causa perdida, pois a humanidade já violou muitas coisas e não tinha mais chances de salvação. Kouga cobra Éden por suas irresponsabilidades, mas é lançado para fora da sexta casa, junto de seus amigos, graças ao cosmo de seu novo aliado. Embora o Cavaleiro de Órion afirme que não pretendia aliar-se a ninguém, Fudou percebe que ele estava lutando para compensar a morte de um ente querido. Éden eleva seu cosmo até o Sétimo Sentido e consegue fazer seu inimigo ficar de joelhos. Fudou promete não interferir em sua batalha e decide permanecer na Casa de Virgem para observar quem irá criar um mundo correto: Éden ou Marte?

Casa de Libra

Mesmo a contragosto, os Cavaleiros de Bronze sobem as escadarias em direção à casa de Libra. Eles não tem dúvidas queGenbu, o ladrão da Armadura de Ouro os estava aguardando; porém, eles são surpreendidos por outro Cavaleiro de Ouro. Haruto percebe que o inimigo era o homem que matou seu irmão mais velho. O nome dele era Tokisada, o antigo Cavaleiro de Prata de Relógio. Kouga e seus amigo se veem obrigados a lutar, mas não conseguem acompanhar a velocidade dos punhos de Tokisada. Quando estavam prestes a serem lançados a céu aberto, longe do Santuário, eles são transportados até a presença de Genbu graças aos poderes das armas de Libra. Contudo, os cavaleiros estranham a presença de Tokisada no local.

É revelado que Genbu não era um aliado de Saori Kido, a quem aclamava como verdadeira Atena; ele estava arrependido de ter abandonado o treinamento de Dohko, o Mestre Ancião e um dos Cavaleiros de Ouro mais respeitados em toda a história. Sentindo o desejo da Armadura de Libra, Genbu foi buscá-la, mas evitou um confronto direto com Shiryu, o pai de Ryuho e, em sua opinião, o único a ter o direito de envergá-la. Ryuho compreende a situação perfeitamente e Genbu mostra aos seus amigos o quanto era poderoso ao derrotar Tokisada. Haruto e Kouga até tentaram se intrometer na briga, mas o cosmo dos dois Cavaleiros de Ouro foi suficiente para afugentá-los. Uma das primeiras Guerras dos Mil Dias estavam para se iniciar no Novo Santuário de Marte, mas, na opinião de Genbu, um Cavaleiro de Ouro como Tokisada, que estava sendo manipulado pela própria armadura jamais poderia vencê-lo.

Infelizmente, Tokisada de Aquário mostra uma resistência formidável e explode seu cosmo na tentativa de eliminar seus inimigo definitivamente. Haruto e Ryuho correm para detê-lo, mas desaparecem no meio da explosão. Kouga, Souma e Yuna são obrigados a seguir em frente enquanto que Genbu, em sua tristeza, é obrigado a permanecer na Casa de Libra e utilizar seu cosmo incrível para impedir que Medea desmanche as escadarias até a Sala do Mestre. A Feiticeira Imperial já estava impaciente com a derrota de seus subordinados.

Casa de Escorpião

Objetivando assegurar um futuro decente para seu filho, Medea não se importa em utilizar sua própria enteada, Sonia, sem prestar os devidos esclarecimentos ao deus Marte. A feiticeira usa de jogos mentais para convencê-la sobre sua verdadeira missão como filha de Marte, presenteando-a com a sagrada Armadura de Ouro de Escorpião. Somente um cosmo decidido e forte seria capaz de controlar tal poder. Sônia promete superar todos os obstáculos e elevar seu cosmo a extremos para fazer Éden arrepender-se de sua rebeldia.

Kouga, Yuna e Souma são os primeiros a enfrentá-la no Novo Santuário. O Cavaleiro de Leão Menor não vê outra chance como aquela para acertar as contas com a mulher que matou seu pai e ajuda Kouga e Yuna a atravassarem a oitava casa zodiacal. Após a confusão nas Ruínas das Trevas, Souma percebe uma forte dúvida no coração de Sônia, apesar da agressividade dela. Enfim, ele percebe que a amazona lutava pelo amor de sua família, que concentrava-se cada vez mais em Éden. Souma sabia do destino dos cavaleiros em lutar pela justiça, mas não concordava com Sônia, pois lutar pelo reconhecimento de uma família que jamais a abraçou ou sequer disse palavras sinceras a ela resultariam em mais sofrimento e tristeza.

 

Apesar dos esforços em fazê-la voltar a si, Sônia desonra cada vez mais o nome dos cavaleiros, disposta até mesmo a matar Atena para assegurar o futuro prometido por Marte; porém, os desejos do coração dela falam mais alto - Sônia estava profundamente abalada por ter matado alguém inocente como o pai de Souma e seu cosmo fica cada vez mais instável. Medea abandona sua enteada a própria sorte, arrependida de ter confiado a ela um tesouro tão precioso quanto a Armadura de Ouro; a instabilidade cósmica causa a destruição da Armadura de Escorpião e Sônia está em grande perigo. Em seu desespero, Souma explode seu cosmo até o Sétimo Sentido na esperança de retirá-la da Casa de Escorpião o mais rápido possível; porém, ele falha em sua missão e Sônia morre, completamente desnorteada e triste. Éden chega ao local e percebe o quanto Souma se esforçou em salvá-la. Ele pede ao Cavaleiro de Leão Menor que siga em frente, pois Sônia foi a própria responsável por tudo aquilo. Souma assim o faz enquanto Éden permanece na oitava casa para os últimos préstimos à sua irmã. A Batalha nas Doze Casas é um verdadeiro inferno!

Casa de Sagitário

O deus Marte é informado da morte de sua filha mais velha e perdoa Medea por sua insolência. A esposa de Marte não lamentava a morte de sua enteada, pelo contrário, ela anseiava pela vinda de Kouga até a Sala do Grande Mestre, mas seus objetivos ainda permaneciam ocultos. Inesperadamente, ela é confrontada por Micenas de Leão, que já enxergara seu lado sombrio, culpando-a por distorcer o deus Marte do caminho de justiça e esperança que pregou ao longo das décadas. O Cavaleiro de Ouro de Peixes e irmão caçula de Medea se apresenta para protegê-la. O nome dele é Amor, que diferente dos demais cavaleiros, exerce forte domínio sobre as trevas em seu interior. Micenas é morto por seu oponente e todos sentem o desaparecimento de seu cosmo. Amor não tem dúvidas que sua irmã planejava algo grandioso, pois sua presença foi necessária no Santuário.

Enquanto isso, Kouga e Yuna encontram um testamento emocionante no fim da Casa de Sagitário. Embora devesse estar protegida por Seiya, a casa encontravasse vazia e solitária; parecia que o silêncio a acompanhava a tempos, pois Seiya já não era mais visto desde o último confronto com Marte próximo à Torre de Babel. Os dois cavaleiros leem o testamento de Aioros, antecessor de Seiya e renovam votos de proteger sua amada Terra. Enquanto eles avançam para a décima casa zodiacal, Amor tranquiliza sua irmã ao afirmar que o próximo oponente deles, Ionia tinha um cosmo tão avançado que o tornavam um dos dois homens mais fortes à serviço de Marte. Mal sabiam os Cavaleiros de Bronze que Seiya ainda estava vivo, porém aprisionado numa infinita e solitária escuridão.

Casa de Capricórnio

Protegia por Ionia, o grande traidor e um dos cavaleiros mais velhos, a Casa de Capricórnio foi convertida numa biblioteca do Santuário. Ionia já aguardava a vinda de Kouga e Yuna e revela a verdade por trás de sua traição. Ele considerava seus atos de adoração à Marte como uma verdadeira prova de amor à Atena, pois somente com a força do deus da guerra é que a missão para libertar Atena de um destino fatídico poderia ser concretizada. Há décadas que Ionia treina aspirantes à Cavaleiros de Atena e resolveu intensificar isso, após ver o quanto os humanso eram fracos em cumprir sua missão de protegê-la.

Ionia estava cansado de ver sua amada Atena ser submetida a provas difíceis e tudo o que conseguiu foi enfurecer seus alunos, que num ato de extrema violência, destruíram lugares sagrados e até o ameaçaram. O Cavaleiro de Ouro matou seus alunos e triste por tais acontecimentos resolveu exilar-se numa ilha, onde passou a estudar livros noite e dia. Saori Kido, a reencarnação atual de Atena se dirigiu ao local para solicitar a ajuda de Ionia na administração e ordem da futura escola para cavaleiros, Palaestra. O diretor aceitou sem pestanejar, porém ele foi abordado por Medea e convencido a ajudar Marte, pois só assim, a deusa Atena poderia ver-se livre de incômodos e provas arriscadas em prol da humanidade mal agradecida.

Kouga e Yuna não aceitam as desculpas de Ionia e o desafiam. O Cavaleiro de Capricórnio utiliza as palavras como forma de subjugação aos seus oponentes e coloca Kouga e Yuna para lutarem entre si. A amazona do vento é nocauteada e o cosmo das trevas de Kouga começa a aflorar. Ionia é surpreendido por seu oponente, quando este recebe inesperadamente a ajuda de Ária e de Saori, as Atenas do século atual. Kouga percebe que jamais lutou sozinho e explode seu cosmo ao máximo, despertando o Sétimo Sentido para pôr fim aos planos do ex-diretor de Palaestra. Ionia envelhece demais por abusar dos poderes de sua juventude e morre contente por constatar que sua deusa Atena estava feliz e ávida com os sofrimentos impostos; para ele, a deusa o abençoou com a luz de Kouga, na verdade, o lendário golpe Cometa de Pégaso (Pegasus Sui Sei Ken) que Kouga executara. Após a derrota do Cavaleiro de Capricórnio, Yuna recobra a consciência e se surpreende ao ver Souma, Haruto e Ryuho. Kouga também está contente em reencontrar seus companheiros. Eles avançam em direção à Casa de Peixes, mas resta uma dúvida: como Haruto e Ryuho haviam sobrevivido a última investida de Tokisada?

Casa de Aquário

A batalha contra Tokisada, o novo Cavaleiro de Ouro de Aquário não ocorreu no Santuário - este é um forte indício sobre a liberdade dos roteiristas da série Ômega em diferenciar a batalha da nova geração em relação a série clássica. Nos eventos da Casa de Libra, Tokisada se descontrolou e transportou a si mesmo, como também Haruto e Ryuho para os Confins do Tempo. Os dois Cavaleiros de Bronze esperavam derrotá-lo, aproveitando-se do quanto Tokisada estava ferido após os ataques de Genbu; porém, o novo campo de batalha era favorável ao inimigo, que podia recuperar-se graças a ampliação de seus poderes em controlar o tempo.

A situação piorou, pois a agilidade de Tokisada aumentou drasticamente também. Ryuho é ameaçado de morte, quando os efeitos do tempo começam a envelhecê-lo totalmente. Por já ter perdido seu irmão, Haruto não tinha apenas em mente enfrentar os cavaleiros mais fortes; ele também almejava proteger seus entes queridos, pois se falhasse jamais poderia vê-los novamente. O Cavaleiro Ninja eleva seu cosmo até o Sétimo Sentido e com uma ataque certeiro, ele derrota Tokisada. Antes de morrer, o Cavaleiro de Aquário percebe que Haruto estava sendo auxiliado por mais alguém; tratava-se do mesmo menino que ele ignorou na ânsia em matar Yoshitomi.

Genbu, que havia sentido o cosmo de Haruto, utiliza uma das armas douradas de Libra para ajudá-lo a voltar ao Santuário junto de Ryuho. Após atravasseram algumas casas zodiacais, os dois Cavaleiros de Bronze se reuniram com seus companheiros e avançam em direção ao confronto final.

Casa de Peixes

O cenário para a ressurreição dos Quatro Reis Celestiais de Marte, os mais poderosos guerreiros que outrora protegeram o Império, estava pronto. O articulador era ninguém menos do que Amor, cada vez mais ansioso em despertar o cosmo negro de Kouga. A Casa de Peixes se torna palco para um terrível cenário. Souma, Ryuho e Haruto são obrigados a enfrentar os subordinados de Marte, até venerados como deuses. Yuna é assediada pelo Cavaleiro de Ouro de Peixes, que estava mais interessado em se divertir do que lutar de verdade.

Kouga é aprisionado por Amor, que conseguira criar lanças vermelhas com seu cosmo das trevas tal qual Marte em suas batalhas anteriores. Yuna é atingida pelos poderes de Amor e ameaçada de morte, quando Kouga se vê obrigado a se entregar às trevas para ajudá-la. O plano de Amor começa a surtir efeito, porém Yuna e os demais Cavaleiros de Bronze percebem suas intenções e se esforçam em ajudar Kouga a recobrar a consciência; toda vez que o Cavaleiro de Pégaso sucumbia ao seu lado negro, sua personalidade mudava drasticamente de uma pessoa gentil para um bárbaro egoísta; e sua pele e seus olhos ficavam mais energrecidos. O cavaleiro perdia a noção de quem realmente era.

Em sua fúria, Kouga é o primeiro a matar um dos Reis Celestiais, Baco. Os Cavaleiros de Bronze percebem que seus inimigos tinham pleno domínio sobre os elementos e elevam seus cosmos ao limite, eliminando-os definitivamente. Amor, que os invocara do sono eterno imposto por Atena anos atrás, estava ciente que os Cavaleiros de Bronze progrediram bastante a ponto de não precisarem da ajuda dos Cavaleiros Lendários, que sequer foram capazes de matar os Quatro Reis Celestiais de Marte. Contudo, o Cavaleiro de Peixes tinha a vantagem, pois Haruto, Ryuho e Souma desmaiaram após tanto esforço e só restava Yuna, que estava bastante fraca, para enfrentá-lo.

Eis que Amor é abordado por seu sobrinho Éden e revela ser o responsável pela morte de Micenas, enfurecendo-o. A morte de Diana, Rômulo e Vulcano era apenas um chamariz para uma batalha ainda mais violenta e Éden é pressionado por seu tio. Yuna se levanta e pede a Éden que vá ajudar Kouga, que foi sozinho até a Sala do Grande Mestre graças ao último esforço de seus amigos. Yuna não está sozinha em sua luta, pois Haruto, Ryuho e Souma se levantam para confrontar Amor diretamente.

Sala do Mestre e Altar do Santuário

A humanidade estava aterrorizada com o fim do mundo. O mar revolto, as tempestades, erupções em todos os vulcões, a seca... tudo era motivo pra espanto e horror, mas para o deus Marte, que estava em seus aposentos, tudo aquilo era a verdadeira purificação, onde somente os mais fortes teriam direito de pisar no Novo Mundo, isto é, o planeta que ele mesmo regia; e também onde Saori Kido permanecia presa.

Kouga é o primeiro a chegar a Sala do Grande Mestre para confrontar o deus insano, mas é completamente sobrepujado por seus poderes. Éden chega em seu auxílio e questiona seu pai sobre seus atos. O deus Marte revela seu passado e impõe sua vontade perante seu filho, culpando-o pela morte de Ária e Sônia; na opinião dele, elas teriam chances de sobrevivência caso Éden não fosse tão fraco a ponto de colaborar com os Cavaleiros de Bronze.

Mesmo com os esforços de seu pai, Éden mantém-se firme em suas decisões e aconselha Kouga a recuperar a lança dourada de Ária, a arma responsável em destruir a Terra lentamente, transportando todo seu cosmo para conceder vida a um planeta inóspito como Marte. Kouga assim o faz enquanto Éden se encarrega de enfrentar sozinho seu pai. Medea observava aos acontecimentos e estava se divertindo com as batalhas; ela sabia que Marte jamais seria capaz de matar o próprio filho, mas Kouga poderia se tornar um incômodo caso se fortalecesse ainda mais. A Feiticeira Imperial sabia muito bem que apenas ela ou seu marido seriam capazes de controlar a relíquia de Ária e não faz esforço em impedir Kouga, que já estava no Altar do Santuário. 

Furioso por Éden não honrar seu nome como um marciano do Imperio como deveria, o deus Marte assume uma nova aparência, abandonando seu lado humano cada vez mais e esquecendo que Éden é seu filho. Após nocauteá-lo, Marte se dirige até Kouga. O Cavaleiro de Pégaso tem seus ataques rebatidos e quase é lançado para fora do altar se não fosse a ajuda de Éden, que havia se recuperado. Os dois Cavaleiros de Bronze unem suas forças e despertam seus cosmos até o Sétimo Sentido para adentrar a escuridão de Marte e derrotá-lo. O deus recupera sua sanidade, questionando seu filho como as coisas chegaram àquele ponto. Redimido por seus atos vis, Marte tenta impedir a destruição da Terra, mas ao tocar no báculo de Ária, ele é eletrocutado até a morte para a tristeza de Éden.

As chamas do Anel do Tempo se extinguiram; isto é sinal que o tempo dos humanos se esgotara. As verdadeiras cores de Medea começam a ser reveladas com a queda de seu marido e os Cavaleiros fiéis à Atena se desesperam ao ver que o planeta Marte finalmente estava na órbita da Terra, bloqueando a luz do Sol. Aparentemente o único que poderia impedir tal destruição seria Marte, porém ele já não estava mais naquele mundo. Éden sequer poderia imaginar que sua mãe estava contente com todos os acontecimentos, ainda mais por encontrar o seu verdadeiro mestre. Enquanto isso, os Cavaleiros de Bronze enfrentavam o ardiloso Amor de Peixes...

______________________________________________________________________________________________

A Saga de Marte - Parte III: O Confronto Decisivo

Rumo ao Planeta Vermelho

Os irmãos, Amor e Medea, juntos contra Atena.
Adicionada por O Amor e o Poder
O báculo de Ária continua fincado no Altar do Santuário. Após a destruição do Anel do Tempo, os poderes dele se amplificam e o cosmo do planeta Terra começa a ser direcionado rapidamente para o planeta Marte, até então desabitado e inóspito. Apesar do deus da guerra ter caído, Medea está contente porque tudo está saindo conforme previra. Éden e Kouga estão surpresos por encontrá-la, ainda mais calma diante de todo aquele impasse. Medea não hesita e rouba a energia das trevas contida na armadura de seu marido, a Galáxia, para entregá-la ao seu irmão caçula, Amor de Peixes.

O Cavaleiro de Ouro havia nocauteado seus oponentes com facilidade e resolve assumir a luta contra Kouga e Éden enquanto sua irmã realiza os últimos preparativos para o início do Novo Mundo. Medea se dirige ao pilar de luz criado pelo báculo de Ária e desaparece em direção à Marte. Amor retoma o combate com os dois Cavaleiros de Bronze, mas decide transportá-los ao planeta vermelho, pois lá seus poderes seriam superiores graças à influência das trevas. Yuna e os outros chegam tarde demais; por não conseguirem ir até Marte, eles são obrigados a aguardar os Cavaleiros de Ouro remanescentes se reunirem para enviá-los até lá com a união de seus cosmos.

Não apenas o Santuário, mas mundo inteiro está condenado...
Adicionada por O Amor e o Poder

Genbu, que já estava ciente da situação, novamente utiliza as armas de Libra para ajudar Kiki e Harbinger a irem até à sexta casa zodiacal rapidamente. Eles estavam ocupados em impedir o avanço das tropas marcianas para não atrasarem os Cavaleiros de Bronze em sua missão. Eis que eles se surpreendem ao ver que Fudou também estava disposto a ajudá-los. Os Cavaleiros de Ouro elevam seus cosmos e transportam seus antigos oponentes até o planeta vermelho. Eles lhes confiam o futuro da Terra enquanto se responsabilizam em atrasar o máximo póssivel a explosão do pilar de luz. Contudo, eles não conseguem ignorar um estranho cosmo das trevas oriundo daquele planeta. Medea coloca o báculo de Ária num cristal gigante para utilizar seu poder quando o momento exigisse. Ela parecia estar aguardando por mais alguma coisa e não se importava de sacrificar mais vidas se fosse preciso...

Os Articuladores da Guerra e a Aparição de Apsu

O planeta Marte começa a ganhar nutrientes à medida que a energia da Terra é exaurida. Vulcões começam a entrar em atividade, águas transbordam... Amor está contente por ver o nascimento do Novo Mundo, mas Kouga e Éden se sentem enojados com tal situação.

Atena mantida em cativeiro no planeta Marte.
Adicionada por O Amor e o Poder

Não havia dúvidas que os irmãos, Amor e Medea, haviam articulado todo aquele cenário. Éden percebe um grande interesse de Amor por Kouga, alertando-o sobre o cosmo das trevas contido na Galáxia de Marte por tantos anos. Infelizmente, os dois cavaleiros não conseguem ferir Amor mortalmente. O Cavaleiro de Peixes teatraliza a história trágica de seu passado com sua irmã, mas Éden e Kouga não levam muito a sério. Embora seja um cavaleiro que domine o elemento Trevas, Amor é sádico e não é honesto. Kouga quer derrotá-lo com seu cosmo de luz e aos poucos começa a pressioná-lo. Amor neutraliza Éden e insere o poder das trevas no corpo de Kouga, mas nada acontece de imediato. O Cavaleiro de Pégaso ainda é ignorante perante as ações do inimigo e começa a pressioná-lo pouco a pouco com seu cosmo de luz. Eis que Amor percebe tarde demais que sua irmã Medea o estava utilizando para provocar Kouga ainda mais, assegurando o despertar de um dos mais terríveis e antigos inimigos de Atena, o deus das trevas, Apsu. Em sua fúria, Amor promete eliminar sua irmã e governar o Novo Mundo após matar Kouga e Éden.

Com o desenrolar da batalha, Kouga encontra Saori, sua mãe de criação, presa numa gigantesca árvore. Kouga resolve ignorar Amor para salvá-la, mas Medea o distrai com uma ilusão, onde ele vê Saori ser morta tragicamente. O desespero toma conta do Pégaso e seu cosmo das trevas começa a transbordar. Os amigos de Kouga chegam tarde demais e veem o quanto ele se transformou num ser de aparência maligna. Amor, pela primeira vez, teme por sua vida, pois Kouga renasceu completamente como Apsu, o deus da escuridão. O primeiro ato do vilão é exterminar Amor com um só golpe, após este tê-lo provocado tanto. Os Cavaleiros de Bronze assistem horrorizados e percebem que o olhar de Kouga está fixo em Saori; mas com intenções diabólicas. Eles percebem se tratar não apenas da mulher que cuidou de Kouga desde que este era um bebê, mas sim da verdadeira Atena, mencionada por Genbu. Para evitar uma tragédia maior, os Cavaleiros de Bronze unem forças para deter o ensandecido Kouga. Nem mesmo elevando seus cosmos ao extremo eles obtém êxito, pois no fundo de seus corações, eles não desejavam a morte de um companheiro.

O Último Sacrifício e o Renascimento de Sagitário

Os Cavaleiros de Bronze caem um após o outro e pior, eles contraíram as feridas das trevas; desta vez, impossibilitados de queimar seus cosmos ao limite. Éden, já livre da pressão exercida pelos poderes de seu tio, se levanta para combater Kouga. O semideus aparentemente leva a vantagem, mas uma vez de posse de Kouga, Apsu não fica para trás e consegue ferí-lo também. Medea assiste ao confronto desconcertada, pois temia que o pior acontecesse a Éden ao enfrentar um deus primordial como Apsu. Quando o deus estava prestes a matá-lo, Medea transporta seu filho para uma câmara secreta, longe do campo de batalha.

Na esperança de fazer seu filho lutar por sua causa, Medea salienta o quanto tem desprezo pelo mundo de luz governado por Atena e seus cavaleiros; possivelmente por sempre sofrer por ter nascido com um cosmo tão temível quanto o cosmo das trevas. A feiticeira se mostra decidida a usar o báculo de Ária para controlar Apsu, mas Éden tinha planos de usá-lo para ajudar Kouga. Enfurecida, Medea tenta neutralizar seu filho, mas Éden contra-ataca ferozmente. Inesperadamente, ela é protegida pela luz do báculo, que implodiu o cristal no qual fora enclausurado. Medea fica chocada por ver que a vontade de Ária era protegê-la, mesmo diante da verdade: a mãe de Éden apenas a criou para aproveitar-se de seus poderes; e também fora a própria Medea quem invocara Apsu para dar cabo de Saori, quando esta enfrentava Marte no passado. Tantas coisas aconteceram, mas de uma coisa Medea tinha certeza, chegou a vez dela de proteger seu filho contra o mal que ela mesma ajudou a criar.

Cheio de coragem, Éden retorna ao campo de batalha. Yuna e os demais cavaleiros já estavam muito feridos e ele resolve apostar todas suas esperanças no poder de Ária. O semideus consegue afugentar Apsu por alguns instantes, mas o deus reassume o controle e parte para a ofensiva. Eis que Medea eleva seu cosmo e se coloca na frente de Éden para protegê-lo. Apsu mata Medea e atinge Éden mais e mais com a ferida das trevas, além de destruir o báculo de Ária. Os Cavaleiros de Bronze estão caídos e ninguém mais poderá conter a fúria do deus das trevas. Yuna se levanta, mas seus ataques de vento são inúteis. Saori revela ter acompanhado a jornada de Kouga e dos demais e pede à Yuna que não hesite em sua missão como amazona. Apsu se mostra muito cruel e aproveita-se de Kouga, obrigando-o a ferir sua própria amiga. Saori tenta fazer Kouga acordar, lembrando-o dos momentos felizes que passaram juntos; diante da rejeição de seu filho, a deusa só derrama lágrimas. 
Mesmo agonizantes, o desejo dos Cavaleiros de Bronze é um só e seus cosmos se reúnem nas profundezas do planeta Marte, onde um fiel Cavaleiro de Atena estava preso; tratava-se de Seiya de Sagitário, que finalmente despertara para proteger sua amada deusa e fazer Kouga recobrar a sanidade. O Cavaleiro de Sagitário revela que o deus Marte já estava ciente sobre a ressurreição de Apsu e que assim como ele, fez de tudo para impedir que esse momento chegasse. No último confronto, Seiya adentrou à Galáxia de Marte na esperança de deter Apsu de despertar, mas Marte, para assegurar seu trunfo no futuro, resolveu prender o Cavaleiro de Ouro. O deus da guerra temia pelo pior e em sua ausência, ele só poderia contar com seu rival para deter as tiranias de Apsu.

Seiya pede a Yuna que o ajude em tal tarefa e eles arriscam suas vidas, mesmo com as feridas das trevas se expandindo pelos seus corpos exaustos. Os dois cavaleiros elevam seus cosmos e partem para uma última ofensiva contra Kouga. O Cavaleiro de Ouro pressiona Apsu a sair do corpo de Kouga; Yuna abraça fortemente seu amigo, pedindo-o que retorne à luz. Após uma violenta explosão cósmica, Kouga vê-se livre do controle do inimigo; seus amigos estão contentes por vê-lo bem. Porém, o deus Apsu utiliza uma última cartada: ele sequestra Saori e a prende em seus domínios, localizados entre as órbitas dos planetas Terra e Marte. Seiya, mais do que depressa, entrega sua Armadura de Ouro a Kouga e pede a ele que salve Atena.

A Vitória da Luz e um Reencontro Emocionante

Capa do 13º DVD japonês. Destaque para Kouga e Seiya.
Adicionada por O Amor e o Poder
Não havia mais ninguém que pudesse salvar Atena a não ser Kouga, que já fora um receptáculo para Apsu. Contudo, desta vez, o Cavaleiro de Pégaso, envergando a Armadura de Ouro de Sagitário, acordou para a luz graças aos esforços de seus companheiros. Apsu surge diante de Kouga e demonstra um poder inimaginável, tratando-o como um brinquedo. O deus estava furioso não apenas por Kouga ter sido liberto de seu controle, mas por Atena, uma das deusas que lhe roubou o universo, ainda estar viva.

Kouga não desiste e procura por sua mãe na dimensão negra de Apsu. Ele a encontra amarrada e sem forças; Apsu estava prestes a eliminá-la, porém Kouga queima seu cosmo e consegue ferir o rosto do deus. O inimigo não deixa barato e queima o braço direito de Kouga, causando-lhe uma dor terrível. Embora Apsu tivesse a intenção de jogar Kouga novamente contra Atena, o rapaz não sucumbe às trevas e eleva seu cosmo. Não apenas Souma e Yuna, mas RyuhoHaruto e Éden elevam seus cosmos para ajudar o Pégaso. Kouga converte os cosmos de seus companheiros num poderoso punho de luz, capaz de iluminar o campo de batalha e libertar Saori de seu cativeiro.

Entretanto, Apsu ainda estava vivo e contente por encontrar um inimigo à altura. O deus tenta absorver Atena para dentro de si, mas Kouga o impede, utilizando suas forças para assegurar o retorno de Saori à Marte, onde os demais cavaleiros a aguardavam. Ela está muito preocupada com Kouga, que aparentemente já não tem mais forças para enfrentar seu inimigo. Apsu não entende porque Kouga rejeita o elemento Trevas; o Pégaso salienta que aceita as Trevas da mesma forma que a Luz; exceto a tirania imposta pelo deus. Apsu tenta perfurar o coração de Kouga, mas é detido por fragmentos do báculo de Ária. Era tarde demais para o deus arrepender-se de sua decisão em destruir tal relíquia no planeta Marte. Os fragmentos do báculo explodem em luz e o deus fica atordoado com os poderes de Ária. Kouga aproveita a chance para dar o golpe de misericórdia e assim libertar o universo de mais um tirano. 

O planeta Marte começa a retornar a sua órbita original; Kouga conseguiu vencer Apsu e assegurar o retorno de sua mãe adotiva, Saori Kido aos braços de Seiya. Yuna está preocupada com seu amigo, mas diante das expressões de Seiya e Saori, sua única escolha é aceitar que ele morreu cumprindo sua missão. Os Cavaleiros de Bronze retornam à Terra, completamente livre da ameaça. A Torre de Babel continua intacta, mas o pilar de luz que aterrorizou até mesmo os Cavaleiros de Bronze desaparecera. Todos estão preocupados com Kouga, mas inesperadamente ele sobrevive à batalha, vagando pelo espaço infinito. Eis que Kouga é recompensado por encontrar sua amada Ária em espírito; ela agradece ao amigo por livrar o mundo da maldade e Kouga a abraça emocionado. Dois cosmos cheio de luz se unem para banhar o planeta Terra com sua bençao; os Cavaleiros de Atena são purificados completamente graças a chuva de luzes que preencheu o planeta; eles já não tem as feridas das trevas em seus corpos; para a alegria maior, Kouga retorna são e salvo.



Pallas, deusa da tragédia, foi derrotada por Atena em épocas mitológicas, mas está se preparando para dominar a Terra. Pretende destruir tudo que é precioso para sua deusa rival como vingança. Seu braço direito se chamaTitan, um poderoso Pallasito. Pallasitos são os guerreiros de Pallas, estes portam armaduras chamadas de Chronotechfeitas com Paládio, possuem habilidades de parar o tempo. Alguns Pallasitos podem ter mais força que um Cavaleiro de Ouro.   

Eras Mitólogicas

Pallas é irmã de criação de Atena. Foi bastante próxima dela em tempos mitológicos.

A muito tempo Pallas era próxima e muito amiga de Atena. As duas se davam bastante bem e tinham um grande vínculo. Certo dia, Pallas começou a odiar Atena e tal fato ainda é um mistério fazendo nascer então uma nova guerra contra Atena que está para acontecer.

Saga de Pallas

Inicialmente, a deusa Pallas ainda criança desce a terra reencarnando para uma nova batalha contra Atena. Então ela encontra seu fiel servo, Titan, um pallasite de primeira classe que a protege da morte do então cavaleiro de ouro, Seiya de Sagitário mandado por Atena para matar a deusa que está para surgir e este fracassa. Após um período de tempo, Titana leva para Pallasbelta, uma

 cidade que os pallasites tomaram para acomodar a 

Pallas para que ela possa crescer até ter forças o suficiente para lutar contraSaori.

Pallasbelta

Pallas demonstra impaciência para ver Atena, que é a coisa que mais quer no momento, mas por motivos maiores, Titan não pode levá-la até sua irmã. Consumindo a energia de Atena, Pallas cresce em um período curto de tempo. Estima-se que ela se tornou uma garota com aproximadamente 7 anos de idade deixando assim Atena mais fraca. Pallas já uma menina, e pede a Titan para acabar logo com os cavaleiros de Atena para que ela possa encontrar sua  irmã

seu braço direito chega a dizer que os cavaleiros não passam de insetos sujos grudados em Atena. Pallas consegue escapar do cstelo e ir para a cidade, onde conhece Kouga e seus amigos. Kouga descrobre que a garota que esta protegendo era Pallas e Titãn aparece para leva-la de volta a seu castelo. Mais tarde Pallas sente o como de Saori

e Ikkientrando em Pallasbelta e logo após, quando o  Portal do Tempo é quebrado, sente o cosmo de Atena e de seus cavaleiros entrando no castelo onde ela esta.Após isso, Pallas tem uma breve conversa com Titan,quando os três pallasites a observam.Pallas fica furiosa e diz que os Cavaleiros só a enganaram por todo esse tempo. Depois, Pallas pede desculpas a Titan por 
ficar nervosa.Mais tarde, Pallas desconfia que Aegaeon tenha traído-a por não ter matado Kouga e os outros e se enfurece novamente sendo parada apenas, uma vez mais , por Titan, declarando que tem a ele para tudo.
Habilidades de Luta

Pallas,embora seja uma deusa, ainda é uma pequena criança sob total responsabilidade de Titan, Pallasite de Primeira Classe mais fiel a ela. Pallas ainda está impossibilitada de lutar, mas pouco a pouco ganha energia através do bracelete que a liga a Atena. Além disso, ela já demonstrou possuir um imenso cosmo, sendo capaz de atirar a flecha de Sagitário contra o próprio Seiya.

Mitologia 

Nos episódios de Saint Seiya Ω, Pallas é a deusa da tragédia. Também é considerada a deusa do amor segundo Saori Kido, a própria Atena.

AcessóriosEditar

A pequena deusa Pallas possui um bracelete no qual suga a energia de Atena deixando a mais forte e Atena mais 
Chronotector de Pallas
Adicionada por Gamma11
fraca. Possui uma boneca semelhante a Saori que é sua única lembrança da sua irmã.

Curiosidades

Parecia que atualmente Pallas não absorvia tanta porção de cosmo e de vida de Atena. Prova disso é que Atena estava muito bem em relação a saúde, situando-se na linha de frente de combate utilizando seu cosmo, pelo menos até a destruição do Portal do Tempo. No entanto, aqui e acolá ocorrem repentinos desmaios e enfraquecimentos da deusa Atena, em contrapartida de sucessivos incrementos do poder de Pallas.

Certas falas de Aegaeon denotam que não conta com a lealdade e a fidelidade de seus principais guerreiros (à exceção de Titan, que lhe devota uma proteção incondicional). Não há dúvida de que Aegaeon, Gallia e Hyperion a consideram um instrumento para a chegada do Deus Supremo, o verdadeiro adversário.

  • Na mitologia grega, era neta de Poseidon, filha de seu filho Tritão.
  • Pallas posui uma Chronotector parecida com a Armadura de Athena.

 

3 temporada desperta 

 essa temporada se inicia no episódio 78 de Os Cavaleiros do Zodíaco Ômega (Saint Seiya Omega)transmitido ontem no Japão trouxe consigo não apenas uma nova fase, batizada de“Despertar“, mas também um tema de abertura inédito intitulado “Flashing Strings“, interpretado pela banda Cyntia.

 

Cavaleiros de Bronze

  • Kouga de Pégaso
Sem nacionalidade definida, é um garoto de 13 anos de idade, que foi destinado a se tornar o novo Cavaleiro de Bronze de Pégaso. O personagem principal da série, treinado desde criança para se tornar um cavaleiro, Kouga é rebelde, mas também compassivo. No começo ele ignora a finalidade de se tornar um cavaleiro em uma época de paz (ele se sentia forçado a se tornar um cavaleiro), e tem aos poucos que descobrir seu destino. Não gosta do fato de que outros se arrisquem por ele, como também nunca abandona seus companheiros, assim como Soma na floresta da Morte. Kouga acaba sendo salvo por Seiya, quando enfrentava Marte e Mikene, e este o reconhece como cavaleiro. É portador de dois cosmos. O primeiro é Luz, confiado pelas duas Atenas, Saori (sua figura materna, o mais próximo de uma mãe que teve) e Aria (sua possível irmâ gêmea, sendo que ele sente instintivamente uma conexão com ela). Aria estava junta dele no campo de batalha quando eram bebês, e é provável que sejam filhos do deus que porta as trevas Apsu, as crianças da luz e trevas. O segundo cosmo de Kouga é Trevas, pois este foi atingido pelo meteoro que na verdade era uma massa de Trevas invocada por Medea, e foi isso que mudou as armaduras dos Cavaleiros para Clostones e criou os elementos do Cosmo e também o hospedeiro da encarnação do Deus das Trevas Apsu. Logo após os eventos contra Apsu e Marte, Pallas desperta e tenta drenar e absorver todo o cosmo de Atena, para crescer mais rápido e atacar o santuário. Kouga e Subaru lutam contra vários e diversos Pallasites, vencendo em sequência.
  • Ryuho de Dragão
Nascido na China, é um menino de 12 anos, amigo de Kouga, que o considera como seu irmão. Muito cuidado de outras pessoas, por natureza, Ryuho sofre de uma saúde frágil. Calmo e educado, ele tem um talento natural para se tornar um cavaleiro formidável, mas sofre de saúde frágil. Ele recebeu a Armadura de Bronze de Dragão do seu pai, o lendário Shiryu de Dragão. O jovem Ryuho comanda o elemento da Água. Se culpa pelo fato de causar a morte de Mirapolos de Lince, um antigo companheiro do passado.
  • Soma de Leão Menor
Nascido no Japão, é um garoto de 14 anos de idade, o melhor amigo e parceiro de confiança de Kouga de Pégaso. O Cavaleiro de Bronze que comanda o elemento fogo. Soma é um jovem com uma personalidade brilhante e alegre, Soma é também emocional e propenso a perder a paciência. Perseguia Sonia por esta ser a responsável pela morte de seu pai Kazuma de Cruzeiro do Sul, mas depois de ver a verdade na Ruína das Trevas, desiste de perseguir a amazona. Ele enfrenta a amazona novamente como cavaleiro de ouro e tenta fazê-la desistir de seguir Marte pelo fato de ver a verdade na Ruína das Trevas, porém, em vão. Soma segura a mão de Sonia e ela pensa que é seu pai, fazendo Soma sentir uma grande tristeza.
  • Yuna de Águia
Amazona da constelação de Águia, Yuna tem 13 anos e ficou órfã durante uma guerra. Diferindo do mangá de Kurumada, a Armadura de Águia possui a patente de Bronze em Omega. Yuna tem como objetivo se tornar uma guerreira poderosa, mas se opõe a regra de que as Amazonas devem viver uma vida de segredos. Ela inicialmente utilizava uma máscara para cobrir seu rosto dos homens, mas agora luta sem ela. Ela é capaz de manipular o elemento do Vento. Também foi capaz de suprimir o cosmo das Trevas de Kouga e até mesmo expulsar o deus das Trevas Apsu, sendo que este o estava controlando.
  • Eden de Órion
Nascido na Itália, é um jovem de 15 anos. Éden comanda o elemento do trovão. Misterioso e distante, Eden acredita na dominação dos fortes e despreza os fracos, colocando sua fé em sua própria força. Ele é filho de Marte e irmão mais novo de Sonia. Eden derrota Kouga em uma batalha de força levando Aria de volta a Marte e que depois se mostra inconsolável com a morte de Aria nas mãos de seu próprio pai, Marte. Mas, o espírito de Aria, impregnado em seu brinco que carregava consigo, seu cosmo de luz mostra o caminho que Eden deve seguir, que o faz voltar ao campo de batalha. Ele se infiltra nos Pallasites em nome do Santuário de Atena e usa a armadura de Maça de Clavo. assim, fica sendo controlado por Europa, um dos Pallasites. Porém, é Europa que está sendo enganado por Eden, Eden revela o plano que não acredita que Aria e seus pais possam voltar a vida, Europa se surpreende e desaparece, Eden nocauteia Tebas, trajando sua armadura de Órion em sua versão evoluída.
  • Haruto de Lobo
Nascido no Japão, é o novo Cavaleiro de Bronze de Lobo na era Omega. Haruto é um jovem de 13 anos de idade. Inteligente, descende da familia japonesa Fujiryu de shinobis. Estóico, Haruto pretende tornar-se um Cavaleiro forte. Com uma personalidade calma, ele mistura as artes shinobi com o estilo de luta antiga dos Cavaleiros de Atena. Ele comanda o elemento Terra. Carrega uma dor pelo fato de perder seu irmão de criação Yoshitomi e resolve se afastar das pessoas, mas faz um juramento que não iria perder ninguém.

Subaru aparece primeiramente na ilha aonde Kouga mora, tentando lhe enfrentar, mas Kouga não aceita. Para tentar fazer Kouga lutar com ele, Subaru que aparentemente despertou seu cosmo queima o mesmo, que chama a atenção de Kouga por parecer o cosmo das trevas. No momento que a luta estava para começar, aparece o Parasita de terceira classeTarvos que os atrapalha. Subaru enfrenta o Parasita, mas não consegue enfrenta-lo tendo sua armadura danificada. Ele pede para Kouga vestir sua armadura e lhe ajudar na luta, mas Kouga diz que não tem armadura pois sua armadura de Pégaso foi completamente destruída na batalha contra Apsu. Mas nesse momento Tatsumi, que estava com Kouga e Subaru, defende Kouga e é atacado por Tarvos, Kouga então decide pegar sua Clothstone e ao queimar o cosmo a armadura de Pégaso renasce e ele protege Subaru e Tatsumi, porém Tarvos foge.

Santuário

Subaru segue com Kouga até o Santuário. Lá ele é barrado por Shaina. Ele subestima a amazona, mas após os ataques dela, percebe que ela possui um grande poder.Depois Kouga volta e leva Subaru com ele. Antes do Cavaleiro de Aço ir embora, Shaina percebe algo de estranho com Subaru.

 

Busca pelos de Bronze

Subaru parte com Kouga em busca dos demais Cavaleiros de Bronze: Souma, Yuna, Ryuho, Haruto e Eden. Durante essa viagem, Subaru enfrenta Pallasitos e conhece novas pessoas. Após reunir a maior parte deles - Eden decide ficar sozinho - eles voltam ao Santuário para ouvir o pronunciamento de Atena sobre a guerra contra Pallas.

Cavaleiros de Ouro

  • Kiki de Áries
No mangá original de Masami Kurumada, Kiki era aprendiz de Mu, o Cavaleiro de Ouro de Áries no século XX. Em Cavaleiros do Zodiáco Omega, o tibetano Kiki assume a posição de Cavaleiro de Ouro de Áries. Assim como Mu, Kiki é bem versado na arte da restauração das armaduras. Ele se torna mestre de Raki.
  • Harbinger de Touro
O Cavaleiro de Ouro de Touro na era Omega. Nascido nos Estados Unidos da América, tendo passado uma infância difícil e a perda de um olho, ele se virou para uma vida de crime e violência, buscando tornar-se o mais forte, desenvolvendo um estilo de luta brutal com base na quebra de ossos, sendo que ele considera que este estilo de luta pode definir o caráter de uma pessoa. Harbinger mais tarde foi recrutado por Ionia de Capricórnio para se tornar o Cavaleiro de Ouro de Touro. Durante a luta, acaba sendo repelido pelo cosmo de Luz de Kouga e acaba deixando Kouga passar.
  • Paradox de Gêmeos
A Amazona de Ouro de Gêmeos na era Omega. Nascida na Inglaterra, foi abandonada por seus pais em uma idade precoce, a vida de Paradox foi salva no passado por Shiryu de Dragão, que a levou a se tornar uma Amazona de Atena. Após muito esforço e dedicação, Paradox subiu na hierarquia dos Cavaleiros de Atena e se tornou a primeira Amazona de Ouro de Gêmeos, porém assim como todos aqueles que um dia usaram a armadura de Gêmeos, ela acabou desenvolvendo dupla personalidade, uma sendo bondosa e amorosa e a outra maléfica e rancorosa, sendo que possui muito pouco controle em manter sua personalidade estável. Ela é desafiada por Ryuho de Dragão, ao que ela responde de forma pacífica, mas depois que Ryuho recusa se tornar um servo de Marte, ambos se envolvem em batalha. Acaba sendo derrotada por Ryuho, mas ela sobrevive. Em seguida é levada do Cabo Sunion por Gália e integra o exército de Pallas para novamente desafiar Ryuho e também sua irmã gêmea Integra.
  • Integra de Gêmeos
A Amazona de Ouro de Gêmeos na era Omega apenas no arco Pallas. Integra é a irmã gêmea de Paradox, quando Paradox trai Atena ao unir-se ao exército de Pallas, Integra se torna outro dos Santos dourados. É diferente de sua irmã, de Saga e Kanon e outros cavaleiros de Gêmeos do passado Lost Canvas e Next Dimension. Integra possui uma personalidade boa e usava seu poder pelo bem, ao contrário de Paradox, que agia como uma egoísta e isso a invejava. Apesar de possuir uma diferença de poderes entre as irmãs, possui a capacidade de usar o Explosão Galáctica.
  • Schiller de Câncer
O Cavaleiro de Ouro de Câncer na era Omega. Sanguinário e impiedoso, Schiller foi escolhido para ser o novo cavaleiro de Cancer por possuir o domínio do seikishiki, que lhe dar a capacidade de transitar livremente na Colina do Yomotsu (a entrada do mundo dos mortos), Schiller cresceu em Sri Lanka, um país em guerra, e em sua infância começou a entender que a morte era o seu meio de vida, quando cresceu começou a matar para sobreviver e decidiu se tornar um Cavaleiro de Atena, conseguindo chegar na patente dos Cavaleiros de Ouro. Ele acolheu o desafio de Yuna de Águia, quando esta chegou em sua casa. Depois de ser lançado no Mundo dos Mortos por Kouga, descobre que ele possuia o cosmo das Trevas, mas acaba sendo derrotado por Yuna.
  • Micenas de Leão
O Cavaleiro de Ouro de Leão na era Omega. Nascido no Tibete, Micenas jurou lealdade à Marte pois Marte confiou seus filhos a ele antes da batalha contra Atena. Se tornou uma ameaça avassaladora para os jovens Cavaleiros de Bronze. Depois de enfrentar Soma e Haruto, se sentiu tocado pela coragem de ambos, assim com a decisão de Eden, seu pupilo e mestre e decide deixar Soma e Haruto passar. Descobre que Medea tem articulando os fatos e resolve tirar satifações a ela, mas acaba sendo derrotado e morto por Amor de Peixes.
  • Fudou de Virgem
O Cavaleiro de Ouro de Virgem é amigo de Marte e reencarnação do Buda Fudou Myouc (o antigo Cavaleiro de Ouro Shaka era reencarnação do Buda Sidarta Gautama). Nascido na Índia, é considerado o segundo Cavaleiro de Ouro mais poderoso da atualidade e assim como muitos outros Cavaleiros de Virgem do passado segue a religião budista, Fudou aperfeiçou os poderes da Armadura de Virgem, tendo a capacidade ter três encarnações diferentes, sendo uma agressiva e violenta, outra serena e calma e a última é neutra mas com golpes de fogo mortais. Luta contra Eden e acaba sendo derrotado, mas os reconhece como sendo superior.
  • Genbu de Libra
O novo Cavaleiro de Ouro de Libra na era Omega. O chinês Genbu vai aos Cinco Picos Antigos de Rozan para pegar a Armadura de Libra, que o escolhe como usuário. Mais tarde, ele revela ser um cavaleiro que luta ao lado de Atena e também aprendiz de Dohko de Libra. Quando Shiryu se recupera da referida das trevas, descobre que Genbu era um fiel Cavaleiro de Ouro que protege Atena e o Amor e a Paz na terra. Durante a batalha na Palaestra, Genbu é assassinado por Aegir ao empunhar a Espada Sagrada de Hyperion, onde Genbu provoca uma pequena rachadura na espada.
  • Sonia de Escorpião
Nascida na Alemanha, filha de Marte e sua ex-mulher Miisha, meia-irmã mais velha de Éden, uma das marcianas de Alto Escalão e antiga amazona de Colméia. Encontra Yuna de Águia durante sua fuga com Aria. Sonia é a guerreira jovem que matou o pai de Soma, anos atrás. Depois de Soma descobrir a verdade na Ruína das Trevas, Soma deixa de perseguir Sonia. Sonia recebeu a armadura de ouro de Escorpião por falta de Cavaleiros de Ouro e porque Medea queria alguém que corrigisse Eden, ainda não havia alcançado o Sétimo Sentido ou adquirido o poder de uma Amazona de Ouro, sendo que recebeu sua promoção no mesmo dia em que Kouga e seus companheiros invadiram o Santuário. Enfrentou Kouga, Soma e Yuna, mas Soma tenta de todas as formas ajudá-la, mas qualquer tentativa era em vão e Sonia usa uma técnica a ponto de se matar. Soma tenta salvar a amazona, mas não consegue. Antes de morrer, Sonia revela que temia a solidão.
  • Seiya de Sagitário
Nascido no Japão, o personagem principal da série original criada por Masami Kurumada, o Cavaleiro de Bronze de Pégasus do século XX. Seiya é agora considerado como um Cavaleiro Lendário e assume a posição de Cavaleiro de Ouro de Sagitário. Seiya defendeu Atena por diversas vezes no passado. Já confrontou Marte diversas vezes e foi aprisionado por Marte tendo seu corpo marcado pelo cosmo das Trevas. Lutou ao lado de Yuna para salvar Kouga de Apsu e confia sua armadura de ouro para Kouga. No segundo arco Pallas Seiya usa a técnica de Aioros, o Trovão Atômico, conhecida apenas na saga Clássica.
  • Ionia de Capricórnio
O Cavaleiro de Ouro de Capricórnio e o diretor da Palestra. O grego Ionia foi um dos cavaleiros que era leal a Atena desde tempos mitológicos e possuidor de uma maldição, por possuir uma permanência eterna, sendo que provavelmente era o antecessor de Shura de Capricórnio (sendo possível também que poderia ter sido seu mentor). Treinou jovens cavaleiros no intuito de proteger Atena, mas tanto esforço era demais a eles que se rebelaram. Ionia se tranca no Cabo Sunion, mas foi libertado em nome da misericórdia de Atena. Ionia recebe uma visita de Medea que faz uma proposta a Ionia, que o leva a trair a deusa Atena e se tornou um servo de Marte, a fim de conquistar o mundo. Com o seu Language Domination, ele força os outros a agir contra sua vontade, até mesmo Kouga e Yuna. Com seu cosmo de Luz, Kouga consegue derrotar Ionia e o liberta de sua estadia eterna, quando este tentava libertar Atena de seu sofrimento.
  • Tokisada de Aquário
Antigo Cavaleiro de Prata de Relógio e que matou Yoshitomi, antigo Cavaleiro de Bronze de Lobo e irmão de Haruto. Nascido no Japão, tornou-se Cavaleiro de Ouro ao aceitar que a armadura de Aquário o controlasse, pois foi revelado que essa Armadura de Ouro tem a capacidade de controlar a mente de usuários que ela não considera digno de usá-la, terminando o controle mental apenas quando finalmente reconhecer que seu usuário é digno. A armadura nunca reconheceu Tokisada como um usuário digno, e o controle mental desta deturpou a mente de Tokisada o tornando obcecado em se tornar o "Senhor do Tempo". Teve de confrontar Genbu de Libra, que se rebelou contra Marte. Depois de tragar Haruto e Ryuho em outra dimensão, Tokisada queria possui o poder de controlar o tempo, mas acaba sendo derrotado por Haruto, irmão de Yoshitomi, que depois se encontrou com ele no além. Contudo, ele é mostrado na forma de um ancião, em que depois ele recebe uma Chronotector e jura lealdade a Pallas para querer se vingar de Haruto, mas acaba sendo derrotado pelo cavaleiro lendário, Hyoga de Cisne e confinado num sarcófago de gelo.
  • Amor de Peixes
O Cavaleiro de Ouro de Peixes em Omega. Nascido na França, Amor é irmão da feiticeira Medea e é bastante forte capaz de utilizar o cosmo da escuridão e o cosmo da água, diferente dos outros cavaleiros de peixes não usa rosas e é bastante galanteador e mulherengo, tenta liberar o cosmo das Trevas de Kouga. Foi aquele que derrotou Micenas de Leão sem muito esforço. Ele tenta deter Kouga e Eden quando tenta recuperar o cetro de Aria, mas acaba sendo derrotado por Apsu quando se apossou de Kouga.

 

Cavaleiros Lendários

  • Shun de Andromeda
O lendário Cavaleiro de Bronze de Andromeda, que lutou ao lado de Seiya de Sagitário para proteger a deusa Atena dos adversários temíveis, anos atrás. Ele também lutou contra Marte quando ele se manifestou. Tendo-se tornado um médico, Shun realiza viagens entre aldeias pobres, tratando de doentes sem cobrar por isso. Ele também fornece os fundos de viagem usados ​​por Koga e os outros cavaleiros. Shun assim como os outros Cavaleiros Lendários e Atena, é atingido e fica com uma "ferida das trevas", e assim sua capacidade de usar o Cosmo diminuiu consideravelmente. Se forçar, o corpo é destruído pelas trevas. Após ter se livrado da marca das Trevas, Shun volta à ativa com sua armadura em forma de Clostone, que também sua armadura evolui. 
  • Hyoga de Cisne
Também um dos cavaleiros lendarios da geração do século XX, que lutou por Atena nas batalhas divinas para o destino da Terra. Hyoga também recebe uma "ferida das trevas" assim como os outros. Ele se encontrava no "Vale das Lamentações", um lugar gelado, quando conhece Kouga que estava sofrendo por sua derrota para Eden e Aria ter sido levada, mas o Cavaleiro de Cisne, vendo o novo portador da Armadura de Pégasus nesta situação, o desafia para uma luta em que foi capaz de restaurar a confiança do jovem sucessor de Seiya em si mesmo.
  • Shiryu
Pai de Ryuhou de Dragão e o Cavaleiro anterior desta constelação, que lutou ao lado de Seiya de Pégasus para proteger a deusa Atena e a Terra nas guerras santas do século XX, considerado como um herói e Cavaleiro Lendário na era Omega, que ajudou seu filho na Ruína de Água antes de Genbu chegar em Rozan. Mentor de Ryuhou, ele sofreu a perda de todos os seus sentidos na batalha contra Marte e agora só se comunica através do uso de seu cosmo. Após se libertar da marca das Trevas, ele submete seu filho a outro treinamento. Com a morte de seu irmão discípulo, Genbu de Libra, Shiryu volta a usar armadura de Libra como um verdadeiro cavaleiro de ouro.
  • Ikki de Fênix
Irmão mais velho de Shun de Andrômeda e mais forte entre os Cavaleiro Lendários do século XX. Ele lutou contra Marte quando ele se manifestou, também testemunhando Kouga e advento de Aria para a Terra, anos atrás. Retorna enfrentando os Pallasites e também Miller e descobre que há um articulador que esteja semeando o ódio em Pallas. Foi capaz de trincar a espada de Aigaion quando golpeou Ikki. Ikki é visto em que confronta Aigaion, em que seu corpo desaparece do campo de batalha, não se tem certeza se ele morre ou não.

 

Atena

A deusa grega da justiça, sabedoria e esforço heróico, que sempre retorna quando o mal consome Terra. Ela teve o cuidado muito como mão adotiva de Kouga. Como no mangá Kurumada, ela aparece como Saori Kido (城 戸 纱织), Sua encarnação no século XX e XXI.
  • Apsu : Medea pega o cosmo das Trevas de Apsu e confia a seu irmão Amor para passar para Kouga. Ao fazer isso, o cosmo de Kouga aumentava, mas também o poder das Trevas que o faz despertar. Apsu possuindo Kouga faz Amor como sua primeira vítima e se torna uma ameaça avassaladora para os cavaleiros. Seiya e Yuna arriscaram suas vidas para salvar Kouga da influência de Apsu. Depois de salvo, em posse da armadura de ouro de Sagitário, com a ajuda dos cosmos de Yuna, Soma, Haruto, Ryuho e Eden, Kouga consegue pressionar Apsu e consegue salvar Saori. O cetro com o cosmo de Aria paralisa Apsu e Apsu acaba sendo derrotado pela luz de Kouga.

  • Aria
É uma garota que comanda o elemento de luz. Ela foi um dos bebês que estavam no campo de batalha dos cavaleiros contra Marte, quando o meteoro de trevas cai no local. O outro bebê foi Kouga. Nesse momento ela foi raptada por Marte, e ele estava desde então fazendo-a desenvolver seus poderes de luz como parte de seus planos para substituir Atena por ela. Depois de ser resgatada por Kouga, ela viaja com ele e seus amigos para destruir as várias ruínas utilizadas por Marte para sugar o cosmo do planeta. Após a ruína final ser destruída, Aria exibe um poder comparável com Atena e faz uso dele para enfrentar Marte, mas é então morta por ele e tem seus poderes absorvidos.
  • Marte (Deus da Guerra)
O deus da guerra Marte que foi selado por Seiya anos atrás, cuja ressurreição era iminente. Para construir o seu mundo ideal, ele tenta seqüestrar sua irmã Atena, para alcançar a dominação. É revelado que se chama Ludwig, e que apesar da origem alemã do nome, é italiano (e por esse motivo se considera descendente de romanos) e decidiu usar o nome romano do Deus da Guerra do panteão olímpico (Marte), ao invés do nome grego (Ares). Confronta Kouga e seu filho Eden, mas acaba sendo derrotado pela dupla.
  • Pallas
Uma deusa com uma profunda ligação a Atena desde a Idade do Mito, pois foi sua irmã adotiva quando Atena ainda era uma criança e estava sob os cuidados de seu pai adotivo (e primo) Tritão (filho de Poseidon) durante a Era Mitológica (a primeira encarnação de Atena), Pallas busca vingança por um acontecimento do passado e hoje possui um corpo de menina. Pallas abriga um ódio profundo por Atena e sua influência faz com que o poder de Atena decaia. Ela visa destruir os cavaleiros, o corpo de Atena e a sua alma. Seiya se deparou com ela ao saber que Saori teve um sonho com a derrota dos cavaleiros. Seiya tentou tirar sua vida com a adaga que Saga usou para tirar a vida de Atena, mas Seiya não teve coragem e ela é levada por Titan para depois despertar como Pallas, a Deusa da Destruição. Pallas é neta de Poseidon, o que faria dela prima de segundo grau de Atena.
  • Titan de Espada da Criação
Guardião silencioso e extremamente leal a Pallas e o mais poderoso dos Quatro Grandes Parasitas de Primeira Classe.
  • Hyperion de Espada da Destruição
Outro Parasita de primeira classe assim como Titan. Não possui um bom dissernimento das coisas e deseja acabar com os cavaleiros de Atena.
  • Gália de Espada da Guerra
A única mulher entre os Parasitas de Primeira Classe. Deseja destruir a humanidade, mas de forma lenta.
  • Aigaion de Espada do Trovão
Outro Parasita de primeira classe. Alega que destruir a humanidade possa ser um desperdicio, acha que a humanidade possa ser útil. Aigaion termina a série confrontando Ikki, eventualmente possa ter sido derrotado e morto em batalha.